Fãs apontam 'boicote silencioso' de Harry Styles à Adidas por falas de Kanye West

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Harry Styles, 28, estaria secretamente boicotando a Adidas por causa da antiga ligação da marca com Kanye West, 45. Pelo menos, é isso que os fãs do cantor britânico acreditam, após ele deixar de usar produtos da marca em meio à repercussão negativa de comentários antissemitas feitos pelo rapper.

Quem acompanha de perto, observou que Styles usava um tênis Adidas x Gucci Gazelle durante praticamente todas as apresentações da turnê "Love On Tour", que estreou em setembro de 2021. No entanto, na semana passada, ele trocou o figurino e apareceu com um tênis vermelho da marca Vans.

Nas redes sociais, os fãs perceberam a mudança, que ocorreu antes de a Adidas anunciar que rescindiria o contrato com West. Alguns judeus agradeceram a atitude, enquanto outros decidiram aderir ao protesto, dizendo que também deixariam de usar tênis da Adidas e usando a hashtag #boycottadidas.

Nesta quinta-feira (27), o ex de Kim Kardashian comentou suas perdas financeiras após o fim dos acordos que tinha com várias marcas. "Perdi US$ 2 bilhões [mais de R$ 10 bilhões] em um dia e continuo vivo", afirmou. "Isso é discurso de amor, eu ainda amo você, Deus ainda ama você. O dinheiro não é quem eu sou, o povo é quem eu sou."

A polêmica começou quando West escreveu nas redes sociais algo como "alerta contra o povo judeu", após o qual teve suas contas no Twitter e no Instagram restringidas. Ele também disse em entrevista que "a mídia judia" estava tentando silenciá-lo e fechou um acordo inicial para comprar a rede social Parler, popular entre o público conservador.

Styles, por sua vez, não se manifestou especificamente sobre as falas do rapper. Porém, ele tem um histórico de se posicionar firmemente contra assuntos em voga na sociedade. Em 2015, ainda no One Direction, ele pediu aos fãs durante um show que não frequentassem o SeaWorld, após acusações de maltratos aos animais.

Análises de uma empresa especializada apontaram que a fala provocou um aumento de 13% nas citações negativas ao empreendimento. Na época, o parque aquático amargou uma queda de 84% nos lucros, que já vinham declinando desde o lançamento do documentário "Blackfish - Fúria Animal" (2013).