Fã processa Anitta e Netflix após virar piada por aparecer em 'Made in Honorio'

·2 minuto de leitura
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, 26.06.2017 - A cantora Anitta. (Foto: Greg Salibian/Folhapress)
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, 26.06.2017 - A cantora Anitta. (Foto: Greg Salibian/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Uma fã de Anitta está processando a cantora e a Netflix por afirmar não ter dado autorização para que a sua imagem fosse usada no documentário "Anitta - Made in Honorio". Na ação, Maria Ilza de Azevedo diz que vem sendo alvo de "diversas chacotas" pela forma como é apresentada na produção.

A mulher aparece no quinto episódio e, segundo mostrado na série, ela teria invadido a casa da cantora. No processo, porém, Maria Ilza diz que a sua entrada no imóvel foi devidamente autorizada. A cena acontece a partir do minuto 20 documentário. Anitta conversa sobre a roupa que vai usar em uma apresentação quando percebe a presença de "tia Ilza" sentada no sofá.

"Tia Ilza? O que a tia Ilza está fazendo aqui dentro gente? Estou aqui só vendo a tia Ilza sentada", disse Anitta, ao sentar no colo da fã. "Deus te abençoe. É uma honra. Fiz essa blusinha para você...", disse Ilza, que foi interrompida pela cantora: "Faz a roupa do meu show, tia Ilza!"

Anitta recebeu a blusa vermelha e agradeceu o presente. "Quando você quiser alguma coisa, liga para mim. Pega meu Facebook também. Eu te vigio o tempo todo", disse Ilza. Após a cena, o documentário mostra a cantora no quarto: "É isso. É o tipo de coisa que acontece na minha vida. E essas coisas que acontece na minha casa. De repente tem uma fã sentada no sofá. Quem chamou? Por que?"

Miriam Macedo, mãe de Anitta, explica que Ilza disse na portaria do condomínio que iria entregar uma roupa para a cantora. "Ela falou que era uma roupa que iria entregar. Ela até faz alguma coisa de crochê. Aí falaram, deve ser uma roupa para o show. E liberaram."

A mãe da cantora disse ainda que estranhou ao abrir a porta e se deparar com Ilza. "Não estava esperando ninguém. Eu não sabia nada. Mas, aí, a gente trata bem todo mundo. Mandei ela entrar e tudo mais."

​Segundo a colunista Fábia Oliveira, do jornal O Dia, os advogados afirmam ainda que ela estava internada na UTI de um hospital após contrair o novo coronavírus, e que soube de sua participação no documentário após receber ligações de parentes e vizinhos que, em sua maioria, zombavam de sua aparição no vídeo.

O processo está em trâmite na 2ª Vara Cível de Macaé. Nesta quarta (13), o desembargador Paulo Sérgio Prestes indeferiu o pedido de Maria Ilza para retirada imediata do quinto episódio da plataforma de streaming.

Por meio de nota, os advogados de Anitta informam que a cantora ainda não foi notificada pela Justiça sobre o caso. "Reforçam que a ideia da série documental é mostrar a realidade da vida de Anitta, sem manipular a veracidade dos fatos e com a expressa autorização de todos os envolvidos", diz.

Procurada, a Netflix não se manifestou até a conclusão deste texto.