Exposição sobre história da moda começa hoje em São Paulo

Flávia Albuquerque - Repórter da Agência Brasil
·3 minuto de leitura

No ano em que o Farol Santander São Paulo completa três anos de existência, o espaço estreia sua programação com a exposição A Arte da Moda - Histórias Criativas, destacando a influência da revolução estética iniciada em Paris sobre artistas e personalidades do meio cultural, a partir de 1910.

Instalada nos andares 19 e 20 do edifício, a mostra traz 170 itens - muitos deles exibidos pela primeira vez em uma exposição - sobre a história da moda e a sua evolução do clássico ao contemporâneo. Aberta hoje (22), a exposição permanece até o dia 4 de abril.

A mostra apresenta as relações entre arte e moda e o desenvolvimento do trabalho de criação dos ateliês no Brasil e na Europa, especialmente na França. Entre os destaques estão estilistas e marcas como Coco Chanel; Christian Dior e Coleção Rhodia, além de Itens originais do vestido de Tarsila do Amaral, usado em seu casamento com Oswald de Andrade, inéditos ao público.

Logo na entrada, uma linha do tempo destaca grandes nomes da moda francesa e brasileira por meio de registros fotográficos históricos, bijuterias de Yves Saint Laurent da coleção particular de Rose Benedetti, dos anos 60 e 70, além do corset de uma das peças da coleção A Costura do Invisível, de Jum Nakao. Há ainda a pintura Vestido Verde (1949), do artista gaúcho João Fahrion, desenvolvida em óleo sobre tela e pertencente ao acervo do Museu de Arte do Rio Grande do Sul.

Um destaque é o acervo Coco Chanel, com três peças da coleção Christian Dior Couture. No 20º andar, o núcleo Mulheres Modernas, traz Tarsila do Amaral, exibindo pela primeira vez peças do vestido de casamento da artista. Há ainda o quadro Autorretrato, Manteau Rouge (1923), pintado em óleo, que marcou a mudança de estilo de Tarsila para o cubismo.

No 20º andar, estão reunidas fotos históricas e ilustrações de moda art déco, feitas por artistas franceses como George Barbier e Georges Lepape, dos anos 10 e 20, além de capas da revista Vogue dos anos 20, ilustradas pela artista americana Helen Dryden.

No acervo Fernanda Nadal é possível ver amostras do bordado lunéville, técnica francesa de alta-costura adotada pela designer paranaense, que explora também diferentes estilos de bordados manuais, matérias e texturas.

No 19º andar, o espaço interativo revela um ambiente com mini roupas inspiradas nos estilistas da mostra e bonecas feitas de magneto, em que crianças e adultos podem montar seus próprios looks com materiais disponibilizados. Na sala, estão expostos 10 vestidos da coleção Rhodia, das décadas 60 e 70, desenvolvidos por designers e estilistas com a colaboração de artistas da época como Dener Pamplona, Alceu Penna, Ugo Castellana, Fernando Martins, Hércules Barsotti, Alfredo Volpi e outros.

Na segunda-feira (25), dia do aniversário da cidade de São Paulo e da comemoração de seus três anos, o Farol Santander abrirá excepcionalmente para visitação.

O Farol segue com todas as medidas de segurança e saúde, como medição de temperatura e tapetes sanitizantes e secantes para ingresso no prédio; obrigatoriedade do uso de máscaras; dispensers de álcool em gel disponíveis em todos os andares do edifício e sinalizações para que todos respeitem o distanciamento de 1,5 metro e reforço o serviço de limpeza e higienização de todo o prédio.