EXCLUSIVO: Entrevistamos Erin Kellyman, líder dos Apátridas em Falcão e o Soldado Invernal

·3 minuto de leitura

O segundo episódio de Falcão e o Soldado Invernal nos apresentou a uma das personagens mais importantes da história da série do Disney+ - Karli Morgenthau, interpretada por Erin Kellyman Han Solo: Uma História Star Wars, Willow). O Chippu teve a oportunidade de conversar exclusivamente com a atriz para saber o que ela pensa sobre a índole da líder dos Apátridas, se ela é uma vilã ou heroína, e o que a motiva.


CHIPPU: Erin, eu estava assistindo ao segundo episódio agorinha, há meia hora, e uma coisa passou na minha mente. Sua personagem é talvez em trailers e vídeos colocada como uma vilã e antagonista, mas ao mesmo tempo, ela tem uma aura heroica. Como você a vê? Você descreveria Karli como uma vilã ou uma heroína? Qual você acha que é a maneira correta de descrevê-la?


ERIN: Eu acho que Karli pensa que ela é uma heroína, ela acha que está fazendo a coisa certa. A raiz dela vem de um lugar muito bom. Todas as suas intenções são boas intenções. Então, eu não sei... eu acho que ela está no meio. Não diria que é um lado ou outro definitivamente.


Uma coisa que vimos da personagem é que ela viu, ou melhor, o grupo todo, os Apátridas, viu algo bom, algo lindo depois do Blip de Thanos. Um mundo unido. Como você descreveria o que sua personagem viu naquele momento, naqueles anos, o que chamou a atenção dela e o que você vê que foi realmente importante pra ela naquele período?


Eu acho que para a Karli a coisa mais importante foi que as pessoas se sentiram unidas, e que havia mais esperança depois de tudo. Obviamente depois que 50% da população sumiu, foi muito traumático. Mas depois de alguns anos as coisas ficaram melhor, as fronteiras eram menos apertadas e restritas, e ela achou que isso era o melhor caminho daqui pra frente.


Nós sabemos que Falcão e o Soldado Invernal, a série em si, é sobre a falta do Capitão América no mundo. Estamos discutindo bastante isso. Mas no último episódio vimos que há muitos outros temas para debater na série. Tem algo que você acha que a série é sobre, além da falta do Capitão América?


Eu honestamente acho que tem tantos, tantos temas dentro dessa série toda que são meio subliminares. E eu acho que é muito importante que as pessoas vejam isso também. Há tantas questões com as quais a série lida e todos são relevantes e importantes.


Tem algum tema em particular que você gosta mais ou que considera como mais importante?


Eu não acho que tem um mais importante que o outro. Todos eles são muito relevantes e vão significar muito pra muitas pessoas que assistirem.


Ótimo. E o que você considera como o elemento mais importante para uma série ou para um roteiro em geral quando você tem antagonistas e vilões como a personagem que você interpreta, que não são preto no branco. Você vê algo que é diferente nas suas motivações. O que você acha que é o mais importante nisso?


Eu acho que, mais uma vez, é a relevância para a vida real. Não tem algo 100% bom ou 100% ruim, e acho que muitas pessoas vão conseguir se relacionar com isso. Não tem preto no branco, é só área cinzenta

Entrevista por Thiago Romariz. Transcrição e tradução por Guilherme Jacobs.