Examinar as bactérias do seu intestino pode ser crucial para perder peso, descobre estudo

Getty Images/iStockphoto

Nos últimos anos, mais e mais ênfase tem sido colocada na manutenção de um intestino saudável.

E de acordo com um novo estudo, as bactérias do seu intestino podem interferir na sua capacidade de ganhar ou perder peso.

A nova pesquisa foi feita pelo Departamento de Nutrição, Exercício e Esportes da Universidade de Copenhagen, mostrando que diferentes proporções de bactérias do intestino podem determinar quanto peso uma pessoa é capaz de perder. A descoberta sugere que uma abordagem padrão para perda de peso não funciona.

A notícia pode ser um consolo para as pessoas que já tentaram inúmeras dietas que pareciam maravilhosas para seus amigos, mas que não serviram para elas.

Os pesquisadores convocaram 62 pessoas para participarem da pesquisa, todas elas acima do peso.

Elas foram orientadas a seguir a Nova Dieta Nórdica (vegetais verde escuros, grãos integrais e frutas) ou a Dieta Dinamarquesa (carnes magras, ovos, alface e café), e foram agrupadas conforme a quantidade de dois tipos diferentes de bactérias – Prevotella e Bacteroides – que estavam presentes em seus intestinos.

As duas dietas variam muito na quantidade de fibras consumidas, com a Nova Dieta Nórdica sendo muito mais rica em fibras.

Os participantes seguiram as dietas por 26 semanas, medindo circunferências da cintura antes e depois. Após o período inicial, todos os participantes seguiram a Nova Dieta Nórdica por mais um ano.

Os pesquisadores descobriram que aqueles que tinham uma menor proporção de Prevotella para Bacteroides, e seguiram a Nova Dieta Nórdica, perderam mais gordura do que aqueles com a mesma proporção bacteriana que seguiram a Dieta Dinamarquesa.

Quando a relação se inverteu, não houve diferença na perda de peso entre as duas dietas.

“Pessoas com uma alta proporção de Prevotella/Bacterioides são mais suscetíveis a perder gordura corporal ao seguir uma dieta rica em fibras e alimentos integrais, se comparadas àquelas que seguiram a Dieta Dinamarquesa”, disse Mads Hjorth, coautor do estudo.

“Os aspectos de promoção da saúde da Nova Dieta Nórdica, em termos de regulagem do peso corporal, parecem se aplicar a um subconjunto da população”, acrescenta ele. “Isso pode se aplicar a até metade da população”.

A pesquisa reforça a ideia de que a nutrição deve ser pessoal, e que aquilo que funciona para uma pessoa não necessariamente funciona para outra.

Ao fazer um exame de fezes, você será capaz de descobrir a proporção de bactérias intestinais e fazer uma dieta mais eficiente – mas é aconselhável consultar um médico antes de fazer mudanças muito drásticas na alimentação.

“Esses resultados são um avanço, pois demonstram que certas espécies bacterianas desempenham um papel determinante na regulagem e na perda de peso”, disse o pesquisador Arne Astrup.

“Agora, podemos explicar por que uma dieta com altas quantidades de fibra nem sempre promove a perda de peso. As bactérias intestinais humanas são uma parte importante dessa resposta, desempenhando um papel no tratamento do excesso de peso”.

Rachel Hosie