Ex-presidente da Vila Isabel é morto a tiros no Rio de Janeiro

Ex-presidente da Vila Isabel, Wilson Vieira Alves, o Moisés, é morto a tiros na Barra da Tijuca (RJ) - Foto: Reprodução/Redes Sociais
Ex-presidente da Vila Isabel, Wilson Vieira Alves, o Moisés, é morto a tiros na Barra da Tijuca (RJ) - Foto: Reprodução/Redes Sociais

Presidente da Unidos da Vila Isabel entre 2006 e 2011, Wilson Vieira Alves, o Moisés, 61, foi assassinado a tiros na noite deste domingo (25) na avenida das Américas, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro.

Ele estava a caminho da quadra da Portela acompanhado da mulher, Shayene Cesário, musa da escola de Madureira, quando foi atingido supostamente por homens que estavam em uma moto. Ela não ficou ferida.

Segundo a Polícia Militar, ainda não há informações sobre a autoria e a motivação do crime. O policiamento ostensivo foi reforçado pelo Batalhão da Polícia de Choque na avenida das Américas.

A morte foi anunciada na quadra da Portela, onde acontecia uma eliminatória para a escolha do samba-enredo do Carnaval 2023. Os portelenses fizeram um minuto de silêncio a pedido do locutor da festa.

Em 2006, sob o comando de Moisés, a Vila Isabel conquistou seu segundo campeonato com um desfile diferente dos tradicionais. A escola foi para o Sambódromo com fantasias luxuosas, patrocínio da estatal venezuelana de petróleo PDVSA e sem o presidente de honra da escola, o sambista Martinho da Vila.

O enredo "Soy Loco Por Tì, América" foi uma homenagem à identidade cultural latino-americana.

Moisés foi preso em abril de 2010 em operação da Polícia Federal que investigou a exploração ilegal de máquinas caça-níqueis em Niterói e São Gonçalo. Em 2012 ele obteve um habeas corpus e saiu da prisão.

Há um mês ele e Shayene comemoraram dez anos de relacionamento. "Que seja infinito nosso amor", ela escreveu nas redes sociais.

Shayene participou da edição número cinco do reality A Fazenda (Record). Imagens divulgadas pelo Domingo Espetacular, também na Record, mostraram a musa da Portela sendo consolada nas proximidades do local do crime, na noite deste domingo.

Escolas de samba como a Unidos da Tijuca e a Império Serrano lamentaram a morte. Em nota, a Unidades da Tijuca desejou força aos familiares. A Império Serrano lembrou que Moisés era pai do diretor de Carnaval da escola, Wilsinho Alves, e também prestou solidariedade aos familiares.