Ex-paquita fala sobre esclerose múltipla: 'já me machucou muito'

João Pedro Malar*
Instagram / @luisewmf

A ex-paquita Louise Wischermann, de 45 anos, fez uma publicação em no Instagram em que falou sobre como é a vida tendo esclerose múltipla. Conhecida como Pituxa Alemã, ela trabalhou no Xou da Xuxa entre os anos 1986 e 1989.

"A esclerose já me machucou muito. Mas como tudo na vida, levantei, procurei e aprendi", disse ela, que foi diagnosticada com a doença em 2005, quando tinha 30 anos.

À época, Louise morava no Canadá e, agora, falou sobre os efeitos da enfermidade. "Comecei a sentir desequilíbrio andando pelas ruas perto da minha casa em Toronto e também não sentia frio, por vezes fazia 20 graus abaixo de zero e eu saía de casa sem casaco, com um xale e um chapéu. Eu simplesmente não sentia frio", comenta a ex-paquita no site em que lançou uma campanha de financiamento coletivo.

Após o diagnóstico, Louise se separou do marido, segundo ela por uma rejeição da parte dele: "Senti na pele o significado de rejeição e descaso. Não foi humano, não foi gentil, não foi amigo. Imagino que deve ter sido muito difícil lidar com a nova realidade e mesmo que o amor tivesse acabado, não teve respeito, amizade nem compaixão".

A ex-paquita retornou para o Brasil pouco depois e lançou recentemente uma campanha de arrecadação para lançar um livro sobre a própria vida e os efeitos da doença, intitulado Por que não eu?. Na publicação em que colocou o link para o financiamento coletivo, ela mostrou uma foto em que aparece com o olho machucado após uma queda em decorrência da esclerose múltipla.

A esclerose múltipla é uma doença genética que compromete a comunicação entre os neurônios, gerando inúmeros efeitos. Visão turva, formigamento, perda de força, falta de sensibilidade, alteração do equilíbrio, incontinência urinária e alteração de memória estão entre os sintomas.

*Estagiário sob supervisão de Charlise Morais