Ex-Globo detona reportagem do JN sobre porteiro: “Estranho que isso vire matéria”

Bárbara Saryne
Foto: Reprodução/Instagram (@luis.lacombe)
Foto: Reprodução/Instagram (@luis.lacombe)

Luís Ernesto Lacombe, que trabalhou na Globo por 20 anos, criticou uma reportagem do ‘Jornal Nacional’ exibida nesta terça-feira (29). Segundo o jornalista, a Globo errou ao divulgar o depoimento do porteiro que afirma que no dia do assassinato de Marielle Franco, o ex-policial Élcio Queiroz, suspeito de envolvimento na morte, disse que iria à casa do presidente Jair Bolsonaro, na época deputado federal.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Siga a gente!

Com passagens pelo ‘Esporte Espetacular’ e ‘Bom Dia Brasil’, Lacombe resumiu como as reportagens são apuradas e garantiu que houve um erro na produção da matéria em questão. “Toda pré-pauta é verificada pelos produtores (...) Quando tudo se confirma vira reportagem. No caso da matéria exibida pelo ‘Jornal Nacional’, sobre o porteiro do condomínio do presidente Jair Bolsonaro, a pré-pauta não se confirmou. Rapidamente se descobre que não é assim. Não é como está no depoimento do porteiro”, iniciou ele.

Leia também

Ainda segundo o jornalista, que atualmente apresenta o ‘Aqui na Band’, a exibição da reportagem no principal telejornal do país causou estranhamento. “É muito estranho que isso vire matéria e seja chamada assim ‘vamos contar uma história que é mentira, mas a gente vai contar mesmo assim’. A narrativa dessa reportagem é confusa. Uma pessoa envolvida com afazeres domésticos, que para pra assistir, pode se confundir”, continuou o profissional.

No fim do vídeo publicado no Instagram, Lacombe criticou o fato de a Globo não ter ouvido a versão do presidente e reforçou a importância da transparência no jornalismo. “Jornalista tem que ser imparcial, isento, curioso. A gente tem que trabalhar com a verdade, com histórias reais”, disparou ele.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.