Ex-empresária de Anitta fala sobre acusação de colocar drogas na bebida da cantora

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Ela ainda relembrou a fase em que ficou sem dinheiro, antes do acordo com Anitta, que pagou  R$ 9 milhões de indenização por quebra de contrato. (Foto: Jordan Strauss/Invision/AP)
Ela ainda relembrou a fase em que ficou sem dinheiro, antes do acordo com Anitta, que pagou R$ 9 milhões de indenização por quebra de contrato. (Foto: Jordan Strauss/Invision/AP)

Ex-empresária de Anitta, Kamilla Fialho voltou a se pronunciar sobre as polêmicas envolvendo sua relação com a cantora. Ela negou um episódio que foi muito comentado após o lançamento de uma biografia não autorizada da funkeira, em 2019. Na publicação, Kamila foi acusada de colocar droga na bebida da Anitta antes dos shows.

"No livro está dizendo que eu colocava droga na bebida dela para ela fazer o show. Sabe ao que ele (o escritor) estava se referindo? A ela ir a um nutrólogo, nutricionista, que provavelmente dava algum tipo de suplemento porque ela fazia muitos shows, era esse o rolê. Mas virou 'Kamilla coloca droga na bebida da Anitta'", contou a empresária ao podcast Bulldog Show.

Ela ainda relembrou a fase em que ficou sem dinheiro, antes do acordo com Anitta, que pagou R$ 9 milhões de indenização por quebra de contrato. Foram quase quatro anos de uma "guerra judicial" entre a cantora e sua ex-empresária. A batalha nos tribunais começou em 2013 após o estouro do sucesso "O Show das Poderosas". Em 2014, Anitta tomou a iniciativa de romper o contrato alegando má administração de sua carreira e suposto desvio de dinheiro.

"Desses R$ 9 milhões, sobrou na minha conta R$ 500 mil. O que é pouco diante do que foi feito. Antes disso, tinha dia em que ou eu fazia unha ou pegava o Uber", revela: "Hoje as coisas estão muito claras, resolvidas, entre a gente. A gente viveu quatro anos de um negócio muito chato, se eu pudesse escolher não viveria nada disso e ela também certamente não iria querer".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos