Ex de DJ Ivis recebe apoio de Juliette e Marília Mendonça após agressão

·3 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Vários famosos declararam apoio neste domingo (11) a arquiteta e influenciadora digital Pamella Holanda, 27, ex-mulher do músico DJ Ivis, 30, após ela denunciar em suas redes sociais uma série de agressões que sofreu dele. Ela publicou vídeos das brigas.

Juliette Freire, 31, campeã do Big Brother Brasil 21 disse também nas redes sociais que "a violência não deve nem pode nos calar. Não existe justificativa. Todo o meu apoio a Pamella e repúdio às cenas e atos de horror do DJ Ivis. Violência contra mulher é crime".

A atriz Giovanna Lancellotti, 28, disse em recado ao músico: "não justifique o injustificável". Já Marília Mendonça, 25, completou: "Não existem justificativas ou argumentos que diminuam as provas e a existência do crime cometido. É inaceitável, intragável e brutal".

Os vídeos divulgados por Holanda neste domingo mostram agressões em ao menos três momentos diferentes, com socos, tapas e empurrões da parte dele. Já o DJ admitiu, também nas redes sociais, mas disse que reagiu a ameaças. A Polícia Civil do Ceará, onde a violência teria ocorrido, investiga o caso.

DJ Ivis já foi tecladista e produtor da banda Aviões do Forró e depois participou da reconstrução da carreira do líder do grupo, Xand Avião. Xand, sócio da empresa Vybbe, também se manifestou e disse que não admite nenhum tipo de violência.

"Não tem explicação", afirmou. Segundo ele, a produtora Vybbe vai ajudar Pamella e a filha do casal, que chega a aparecer em algumas imagens da agressão. Ele afirmou que não há como seguir trabalhando com DJ Ivis.

A cantora Solange Almeida, ex-Aviões do Forró, divulgou um vídeo orientando as mulheres vítimas da violência a procurarem ajuda. "Amor com violência é doença", disse. "Tenha consciência do ciclo da violência: primeiro vem a tensão, depois a agressão, depois a desculpa, em quarto a calmaria e em quinto a nova agressão. Em outras palavras, ele não vai mudar".

A cantora contou que já sofreu violência doméstica e afirmou que "não é fácil denunciar, mas é preciso. Briga de marido e mulher se mete a colher, sim", completou.

Lideranças políticas falaram sobre o caso e pediram providências contra a violência contra as mulheres. A vereadora Mônica Benício (PSOL-RJ), por exemplo, reforçou que é importante denunciar e combater a lógica machista e cruel. "Pamella, você não está sozinha", afirmou.

"As imagens, que não recomendo que ninguém veja, são chocantes e não deixam dúvidas da violência praticada", escreveu a vereadora Erika Hilton (PSOL-SP).

Segundo o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, o governo federal recebeu 105.671 denúncias de violência contra a mulher em 2020. Desse total, 75.753 denúncias diziam respeito à violência doméstica e familiar. Entre as principais estavam ameaça ou coação, constrangimento, agressão e tortura psíquica.

Após a divulgação dos vídeos, DJ Ivis foi afastado de todos os compromissos profissionais pela produtora Vybbe, responsável pelo gerenciamento da carreira dele. Produtor, cantor, compositor e tecladista, o artista emplacou hits como "Volta Bebê, Volta Neném", "Não Pode se Apaixonar" e "Volta Comigo BB" .

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos