Ex-capa da Playboy que traficava drogas é condenada a oito anos de prisão

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Ex-capa da Playboy, a garota de programa Flávia Tamayo, 23, foi condenada a oito anos de prisão por tráfico de drogas e associação para o tráfico. Ela já havia sido presa em 2020 quando participava da venda de drogas sintéticas e cocaína para clientes de alto poder aquisitivo do Distrito Federal. 

Segundo informações do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios, Flávia poderá cumprir a pena em regime semiaberto, mas ainda cabe recurso. 

 Leia também:

Em documentos obtidos pela reportagem consta que Flávia já mexia com venda de drogas há pelo menos dois anos em um flat da capital federal. Durante os programas sexuais de luxo que faziam, Flávia e outras moças aproveitavam para vender drogas. 

A jovem já foi capa de revistas masculinas no Brasil e em Portugal e atuou como atriz pornô. A prisão havia acontecido em 21 de julho de 2020 em um hotel de Vitória, no Espírito Santo. 

Na época, a prisão da jovem fazia parte da Operação Rede, realizada em junho daquele ano, no Distrito Federal, quando mais de 200 policiais cumpriram 37 mandados de prisão e de busca e apreensão. Segundo a polícia, ela tentou resistir ao ser abordada no saguão de um hotel na ocasião. 

"Ela tentou tirar a roupa, mas foi impedida por uma policial civil que estava na operação", afirmou o delegado Rafael da Rocha Corrêa, da 1ª Delegacia Regional de Vitória, que diz ter apreendido com ela uma pequena quantidade de drogas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos