Ex-BBB Mahmoud reclama de cancelamento nas redes sociais

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O ex-participante do Big Brother Brasil e No Limite Mahmoud Baydoun voltou às redes sociais nesta terça-feira (17) para reclamar do cancelamento que sofreu nas redes sociais. Ele foi criticado na segunda (16) após usar aplicativo de paquera para conversar e oferecer ajuda a moradores do Afeganistão.

Mahmoud postou no Instagram várias fotos segurando folhas de sulfite falando do cancelamento e explicando os motivos de ter oferecido ajuda. "Ontem eu sofri o maior cancelamento na internet desde que comecei minha carreira no digital".

O ex-BBB disse que muitos não sabem, mas ele já vivenciou várias guerras e conflitos armados quando era criança e morava no Líbano. "Em 2006, eu e parte da minha família fomos evacuados do Líbano pelo governo brasileiro".

Segundo ele, por muitos anos quando ouvia trovão pensava que era uma bomba porque quando era criança Israel jogava bomba perto de Beirute, no Líbano. "Minha avó me falava que estava trovejando", conta.

Mahmoud falou que ficou preocupado quando soube que o Taleban havia invadido o Afeganistão, na segunda. "Ontem quando vi as notícias, me deu um gatilho tão forte. E eu juro que eu real e genuinamente queria poder ajudar ou tentar contato com alguém", afirma.

Ele admite que foi "ingênuo e inocente" ele tentar contato mudando a localização de um aplicativo de relacionamento. " Mas isso não justifica eu receber incentivos ao suicídio, ataques homofóbicos e xingarem minha mãe", reclama.

Mahmoud falou que entenderia se as pessoas fizessem comentários, que ele foi ingênuo em tentar ajudar através de um aplicativo e que deveria procurar uma ONG. Mas elas preferiram fazer comentários homofóbicos e pedirem a sua morte.

"O pior que quando eu reclamei no Twitter que estava me sentindo mal e que os ataques de haters estavam um pouco desmedidos, me chamaram de vitimista, mimizento e biscoiteiro".

O ex-BBB questionou a que ponto chegou a internet e se vale a pena ridicularizar e atacar alguém só pra entrar nos Trends Topics. Ele falou ainda que respeita a cultura dos memes e o humor nas redes, mas não xingarem a mãe dele por querer ajudar alguém.

"Me desculpem o desabafo. Precisava colocar o que estou sentindo pra fora. Por trás dessa telinha, existe um ser humano de carne e osso. Paz".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos