Quando teve origem a festa junina no Brasil?

Redação Notícias
·2 minuto de leitura
Reprodução
Reprodução

Ao lado do Carnaval, a festa junina aparece como uma das principais celebrações populares brasileiras, mas suas origens vêm de séculos anteriores à chegada dos portugueses ao Brasil. Apesar de ser difícil precisar uma data e um local, a festa junina pode ser considerada uma comemoração milenar que começou no norte da Europa e ganhou o mundo com uma série de adaptações culturais de acordo com cada região.

O que é festa junina?

Inicialmente, a festa junina era celebrada por povos que ocupavam países atuais como Suécia, Noruega, Finlândia, Dinamarca, Estônia, Letônia e Lituânia, entre outros europeus, e marcava o início do verão no hemisfério norte do globo terrestre. Naquela época, as festividades eram consideradas pagãs pelos cristãos e não estavam associadas aos santos que conhecemos hoje em dia, porém, já contavam com algumas tradições que ainda seguimos.

Apesar das transformações que sofreu ao longo da história, a festa junina segue sendo caracterizada por pessoas ao redor de uma grande fogueira, com danças, músicas, comidas e bebidas típicas que atraem a comunidade local para momentos de integração e diversão.

Qual a origem da festa junina no Brasil?

Com a cristianização da Europa, a festa junina foi incorporada pelas culturas de outros países, principalmente Espanha e Portugal, que passaram a associar a festividade a três santos católicos: Santo Antônio (13/6), São João (24/6) e São Pedro (29/6), todos com datas comemorativas no mês de junho. Seu nome, inclusive, passou a ser “festa joanina” no Brasil, em referência a João, e não “festa junina”, que indica o sexto mês do ano.

Quando teve origem a festa junina no Brasil?

A festa junina chegou ao Brasil junto com os colonizadores portugueses, a partir do século XVI, quando diversas manifestações culturais europeias foram incorporadas ao novo território. Instrumentos musicais como cavaquinho, sanfona, triângulo e reco-reco foram ouvidos pela primeira vez por aqui, assim como apareceram os trajes “caipiras” e as decorações coloridas.

Naquele período de grandes navegações, Portugal realizava um intenso comércio com povos asiáticos, como os chineses, o que pode explicar a presença de balões de ar e fogos de artifício nas celebrações de festa de junina que vemos até hoje no Brasil. Porém, é sempre bom lembrar que a atividade baloeira é proibida pela legislação brasileira desde 1998.