Após agressão, Evandro Santo rebate críticas: "Nunca apoiei o Bolsonaro"

Foto: Reprodução/Instagram (@evandrosanto)

O humorista Evandro Santo relatou ter sofrido uma agressão depois de sua apresentação em Marília, no interior de São Paulo, na última sexta-feira (18). Na ocasião, o artista disse que foi vítima do ódio e da homofobia, mas nem todo mundo comprou o discurso do ex-participante da ‘Fazenda’.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Segue a gente!

Segundo ele, alguns ativistas o teriam criticado e considerado seu discurso hipócrita por ser apoiador do presidente Jair Bolsonaro (PSL). Em um desabafo, Evandro negou a informação e disse que sempre foi muito querido pelo público LGBTQ.

Leia também:

“Sou amigo de todo mundo: gay, travesti... Se eu fosse considerada uma pessoa escrota, nojenta, eu não teria acesso a todas as boates LGBTs. Ou seja, não sei de onde vem esse ódio contra a minha pessoa. Falaram que eu apoiei o Bolsonaro. Gente, eu nunca apoiei o Bolsonaro”, explicou ele, que também registrou um boletim de ocorrência na tarde desta segunda-feira (21).

No vídeo publicado no Instagram, Evandro ainda contou que é gay assumido desde a infância. Ele disse que já sofreu muitas agressões ao longo de sua trajetória. "Apanhei muito por imitar a Gretchen, porque tinha voz fina, porque andava rebolando. As pessoas na escola me batiam, jogavam goiaba na cabeça, juntavam em turma na saída para me bater. Aos 12 anos, cansei disso tudo, voltei um dia do trabalho e falei: 'Sou gay e pronto'", revelou.

Entenda o caso

Evandro foi acusado de ter se aproveitado da comunidade LGBTQ após sofrer a agressão em Marília. O humorista explicou que o rapaz, identificado como Pedro, foi um dos convidados para o quadro chamado ‘Tinder Humano’, em que dá selinhos em pessoas da plateia, que aceitam o convite para subir ao palco. “Ele super aceitou bem, fez o Tinder, ganhou um selinho meu, deu risada, assim como a moça ganhou um meu e deu risada. Saiu do palco de boa”, contou.

Após o espetáculo, Evandro foi ao banheiro e acabou surpreendido. “Quando saí, do nada, o cara apareceu, o mesmo que participou por vontade própria e me deu um baita soco na boca. Obviamente eu não reagi. Tanto a boca quanto o nariz sangraram. Na hora virou um tumulto no banheiro, gente separando o cara, um cara ficou puto e disse para o pai dele: ‘Você trouxe o seu filho para fazer isto com o artista?’ Chegou uma moça super prestativa, e fizeram um paredão para eu sair. Saí tão passado que fui direto para o hotel”, disse à época.