EUA matou general para desmobilizar ataque, diz secretário de Estado de Trump

Mike Pompeo durante entrevista coletiva no dia 19 de dezembro de 2019. (Foto: AP Photo/Matt Rourke)

O secretário de Estado americano, Mike Pompeo, disse nesta sexta-feira (3) que os Estados Unidos estão "comprometidos com a desescalada", após a morte do general iraniano Qassem Soleimani, em um ataque orquestrado por Washington.

No Twitter, Pompeo disse que conversou com seus homólogos chinês, britânico e alemão sobre a "decisão de Donald Trump de eliminar Soleimani em resposta às ameaças iminentes às vidas de americanos".

Leia mais sobre o conflito entre Estados Unidos e Irã

"Grato aos nossos aliados por reconhecerem as contínuas ameaças agressivas representadas pelas forças iranianas Al-Quds", tuitou Pompeo, ressaltando que conversou sobre o ataque com seu homólogo britânico, Dominic Raab, e o responsável pelas questões diplomáticas do Partido Comunista Chinês (PCC), Yang Jiechi.

"Os Estados Unidos seguem comprometidos com a desescalada", frisou.

Na quinta à noite, Pompeo postou um vídeo no Twitter, no qual, segundo ele, veem-se iraquianos "dançando na rua" para celebrar a morte de Soleimani.

Líder dos Guardiães da Revolução, o poderoso general iraniano morreu em um bombardeio americano em Bagdá.

O Pentágono anunciou que Trump deu diretamente a ordem de "matar" Soleimani.