EUA lista Wakanda, país do Pantera Negra, como nação de verdade

O país de origem do super-herói da Marvel, Pantera Negra, foi removido de um rastreador de tarifas da Internet mantido pelo Departamento de Agricultura dos EUA

Gado e castanhas-d'água faziam parte até quarta-feira (18) da lista de produtos isentos de tributos que seriam negociados entre os Estados Unidos e a nação africana de Wakanda.

Detalhe: o país tecnologicamente mais avançado do mundo - e lar do herói da Marvel Comics Pantera Negra - é fictício.

Wakanda foi removido rapidamente de um indicador de tarifas on-line mantido pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos.

A agência informou nesta quinta-feira que listou Wakanda como parceiro de livre-comércio durante os testes do Serviço Agrícola Estrangeiro e, por engano, permitiu que a listagem fosse veiculada na Internet.

"A equipe do Serviço Agrícola Estrangeiro que mantém o 'Tariff Tracker' utiliza arquivos de teste para garantir que o sistema esteja funcionando corretamente", disse um porta-voz.

"As informações sobre Wakanda deveriam ter sido removidas após o teste e agora foram retiradas de vez", acrescentou.

Desde que o presidente Donald Trump assumiu o cargo em 2017, Washington enfrenta de forma agressiva vários sócios comerciais em todo o mundo, aumentando as tarifas e sacudindo a ordem comercial vigente no mundo.

A presença de Wakanda no site suscitou brevemente especulações irônicas de que o país recluso, mas imaginário, poderia ser o próximo alvo de Trump.

De acordo com a NBC News, Francis Tseng, pesquisador do Jain Family Institute em Nova York, viu centenas de informações sobre Wakanda enquanto pesquisava tarifas sobre alimentos.

As batatas de Wakanda, por exemplo, recebiam uma taxação de 0,5 centavo por quilograma (0,23 centavos de dólar por libra-peso) ao chegar aos Estados Unidos.

Não havia, no entanto, tarifa para o vibranium, um metal fictício com propriedades extraordinárias que são a fonte do domínio tecnológico e da autossuficiência da progressista Wakanda.