'Segui o método de Marie Kondo por 8 meses e vivo com mais alegria'

Marie Kondo autora do livro “A Arrumação de Marie Kondo” em Nova York (EUA)

Por Dana Oliver

Quando a edição de “A Mágica da Arrumação” de Marie Kondo chegou na minha escrivaninha em 2014, o livro ficou ali, juntando poeira, ao lado das amostras grátis de maquiagens que não combinavam com a minha pele.

Receba no seu Whatsapp as novidades sobre o mundo dos famosos (e muito mais)

Folheei algumas páginas do guia de autoajuda e não conseguia entender o conceito de se livrar de roupas que não “despertavam alegria” mais. Quando olhei dentro do meu armário, cada vestido, blazer e botinha de salto alto faziam meus olhos brilharem.

Assim como no caso de alguns dos participantes do programa da consultora de organização no Netflix, uma onda de ansiedade me invade quando estou tentando me livrar das minhas coisas. Não me considero alguém que acumula coisas, mas herdei da minha mãe o vício de fazer compras, e isso se vê claramente na montanha de roupas que colecionei ao longo dos anos.

Com cinco meses de gravidez do meu primeiro filho, decidi fazer um esforço consciente para realmente organizar meus pertences para que pudesse liberar espaço para as coisas do meu pequeno que logo chegaria. O primeiro passo na minha jornada de “arrumação” foi contratar uma organizadora profissional.

Procurei uma empresa de organização chamada e achei a Amanda Jefferson, uma consultora certificada da KonMari – sim, existe isso – e foi uma das primeiras organizadoras do mundo a ser treinada pela própria Marie.

Depois de três sessões de organização, arrumamos mais de 10 malas com roupas para doar ou jogar fora, exibimos artisticamente alguns acessórios de moda – como minha bolsa rosa Saint Laurent – e organizamos o armário do corredor com itens essenciais para uma nova mãe. Amanda me ensinou a dobrar as roupas como a Marie, me ajudou a organizar centenas de cartões-presente não utilizados e me deu uma lição de casa para organizar o uso do Evernote, um aplicativo útil para criar listas de tarefas digitais.

Então, como estou lidando com a arrumação oito meses depois? Aqui estão seis dicas aprovadas por Marie Kondo que aprendi e apliquei na minha rotina regular para me manter organizada:

Verifique regularmente se suas roupas íntimas te dão alegria

Eu posso abrir e fechar as gavetas da cômoda sem me irritar, porque elas não estão mais cheias com roupas íntimas rasgadas. (Foto: Getty Images)

Costumava lavar roupa a cada quatro ou seis semanas. Você provavelmente está se perguntando como isso é possível. Bem, quando você acumula uma coleção de roupas íntimas como eu, então há sempre sutiãs ou roupas íntimas limpas por aí. Mas tenho que admitir que nem todas as minhas roupas íntimas estavam em boas condições.

Durante nossa primeira sessão de organização, Amanda me instruiu a examinar minha coleção de roupas íntimas e jogar fora qualquer coisa que tivesse buracos ou costuras soltas e estivesse com os elásticos muito frouxos. Em seguida, ela me mostrou como dobrar e guardar tudo dentro de mini-caixas . Isso permitiu que eu conseguisse ter espaço suficiente para enfiar os volumosos sutiãs de amamentação dentro da minha gaveta de cima – um feito que eu achava que jamais conseguiria atingir.

Feito isso, eu ainda tinha uma coleção impressionante de sutiãs, roupas íntimas e lingerie rendada. Amanda, então, aconselhou que  fizesse uma verificação regular para garantir que me livrasse de peças que estavam praticamente caindo aos pedaços e que já não me despertavam alegria. Depois de dar à luz, refiz esse processo e joguei as calcinhas de maternidade e sutiãs mal ajustados fora.

Dobre e guarde as roupas na vertical

Aprender a dobrar corretamente é realmente algo que muda a sua vida. (Foto: Getty Images)

Você pode pensar que eu já soubesse dobrar roupas, já que trabalhei na Gap durante a faculdade, mas há uma maneira correta de dobrar as roupas, e isso não requer nenhum plano muito complicado.

Depois que eu joguei todas as minhas roupas na minha cama e perguntei a mim mesma: “Isso me proporciona alegria?”, Amanda passou a me apresentar a arte de dobrar as roupas no estilo KonMari. Passar as mãos no tecido para deixá-lo mais liso é o segredo para armazenar com sucesso tudo na vertical, desde moletons volumosos até meias de tricô. E, como alguém que leva muito tempo para chegar ao trabalho, todos os dias, observei essa técnica provocar um impacto enorme para ajudar a reduzir o tempo que gasto para me arrumar para o trabalho todas as manhãs.

Arquive documentos importantes em “pastas bonitas”

Esta pasta estilo acordeão é um salva-vidas para manter as contas organizadas. (Foto: Amazônia)

Costumava ter um péssimo hábito de jogar minha correspondência no balcão da cozinha ou em cima da geladeira. Como todas as minhas contas estão habilitadas no pagamento automático e eu não fazia compras em nenhum dos mercados que enviam panfletos, incluindo cupons, eu ignorava as grandes pilhas de papel até não aguentar mais ficar olhando para elas.

Amanda teve a ideia simples, mas brilhante, de investir em “pastas bonitas” que “despertam alegria” para que eu pudesse arquivar correspondências e catalogá-las corretamente. Eu não tinha mais que gastar 15 minutos procurando a conta de energia elétrica de três meses atrás.

Outra dica útil que a Amanda me passou para manter meu escritório em casa organizado foi digitalizar e enviar documentos importantes, como meu contrato de locação de apartamento ou registros médicos do meu obstetra para o Dropbox (servidor para arquivos na nuvem). Agora eu mantenho uma “pasta bonita” para utilidades domésticas e uma para os registros pessoais do meu filho.

Guarde as fraldas e lenços do bebé dentro de um organizador de sapatos

Reutilizar um organizador de sapato para armazenar os itens essenciais para o bebê é simplesmente brilhante. (Foto: Amazônia)

Quando se trata de conselhos para pais e mães, tudo o que me dizem, geralmente, entra por um ouvido e sai pelo outro. Mas quando Amanda me falou do truque de armazenar os itens essenciais do bebê, escutei e observei atentamente.

Como mãe, Amanda sabe algumas coisas sobre como deixar ao seu alcance tudo aquilo que você precisa, a qualquer momento. Ela recomendou que eu guardasse fraldas de bebê, lenços e produtos de higiene dentro de um organizador de sapato de plástico pendurado dentro do meu armário no corredor.

Com esses objetos indispensáveis ​​escondidos perto da porta da frente, eu poderia facilmente pegar qualquer coisa de última hora antes de levar meu filho à uma consulta ou dar uma volta pelo quarteirão. Eu também mantenho um organizador de plástico de sapato cheio de itens essenciais para o bebê dentro do armário do quarto dele – isso ajuda a evitar uma confusão de caixas.

Mantenha as roupas para lavar próximo da porta

Você irá sempre lembrar de mandar lavar a seco as roupas, se deixá-las em um lugar da casa onde seja fácil de vê-las. (Foto: Getty Images)

Tenho certeza de que não sou a única pessoa que deixa as roupas que precisam ser lavadas à seco por semanas a fio no fundo da cesta de lavanderia. Infelizmente, isso resultou em algumas manchas que nunca foram eliminadas. Para evitar esquecer (ou ignorar) essas roupas, Amanda propôs colocá-las dentro de uma sacola, perto da porta. Não há mais desculpas para não fazer minha lavagem a seco.

Mantenha o balcão do banheiro livre de bagunça

Caixas de plástico médias ajudam a minimizar a desordem quando se trata de armazenamento do banheiro. (Foto: alvo)

A maior tarefa durante as minhas sessões de organização era organizar caixas cheias de produtos de beleza. Mesmo que eu tente de tudo para não trazer para casa amostras de maquiagem, acessórios para cabelo e produtos de cuidados com a pele, essas coisas tomaram conta de cada canto da minha casa. Meu banheiro era uma bagunça, com potes de vidro ocupando o topo do armário de remédios e líquidos vazando na penteadeira. A maioria dos produtos de beleza estava pela metade ou ainda não tinha sido aberta.

Nós limpamos e limpamos e limpamos os produtos de beleza. Em seguida, nós mesmas fizemos caixas para armazenar os itens para o meu uso diário no banho, além de alguns produtos corporais indispensáveis, imprimimos etiquetas e fizemos os rótulos com um marcador preto para indicar o que cada caixa continha.

Para guardar miudezas como cotonetes e produtos de higiene feminina fora do alcance do meu bebê explorador, Amanda sugeriu que eu guardasse esses itens em caixas plásticas em um armário fechado. Tudo se resumia a uma verdade muito simples: se eu não consigo ver, não consigo usar.