Estudo indica que níveis de estresse do dono podem afetar seus cães

Vida e Estilo International
Soloviova Liudmyla / shutterstock
Soloviova Liudmyla / shutterstock

Por Jan Hoole

O estresse é um componente inevitável da vida moderna. Muitas pessoas se preocupam com os efeitos que um estilo de vida estressante podem ter na saúde a longo prazo, mas quem imaginaria que ele também pode afetar a saúde dos nossos animais de estimação?

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Segue a gente!

Um novo estudo publicado no ‘Scientific Reports’ aponta que precisamos dedicar mais atenção a isto, já que o estresse de longo prazo dos donos de cães está correlacionado com o estresse de longo prazo em seus pets.

Leia também

Os autores do estudo, uma equipe de cientistas da Suécia, mensurou os níveis de cortisol, hormônio do estresse, ao analisar amostras de fios de cabelo e pelos dos donos e de seus animais.

O cortisol é armazenado nos fios de cabelo conforme eles crescem, proporcionalmente à quantidade presente no sangue, permitindo obter uma medida de quão estressada uma pessoa está ao longo dos meses antes da obtenção da amostra.

Todos os 58 cães participantes do estudo tinham donas do sexo feminino e eram de duas raças – Pastor de Shetland e Border Collie. O grupo do estudo também foi dividido entre cães de companhia e os treinados para competições envolvendo disciplinas como obediência e agilidade.

Estudo indica que níveis de estresse do dono podem afetar seus cães
Estudo indica que níveis de estresse do dono podem afetar seus cães

Como as amostras de pelos de cada dupla cão-dona foram obtidas com seis meses de diferença, o efeito da estação do ano também foi considerado, e os níveis de atividade de cada cachorro foram analisados usando uma coleira de monitoramento por uma semana, durante o estudo.

Outro aspecto considerado foi a personalidade dos cães e das donas, e a forma como eles afetavam as respostas de estresse um do outro. Estas informações foram obtidas em questionários de personalidade, preenchidos pelas donas.

Os donos afetam os cães – mas o oposto não acontece

Os resultados foram fascinantes e complexos. Por exemplo, parece que a personalidade do dono pode afetar os níveis de estresse do cachorro, mas o contrário não ocorre. A estação do ano afeta os níveis de cortisol das duas raças de cães, sendo mais altos no inverno.

Os níveis de treinamento e atividade não afetaram os níveis de estresse dos cães, mas os animais que competiam apresentaram níveis mais baixos de cortisol no inverno do que os cães de companhia.

Um dos resultados mais interessantes foi de que os donos com níveis de estresse mais altos tinham cães com níveis de estresse mais altos tanto no inverno quanto no verão. Os autores sugerem que este seja um efeito causal, e que os pets estejam respondendo aos níveis de estresse dos seus donos.

Por muitos anos, os seres humanos tentaram negar que os animais pudessem sentir emoções, acreditando que este era o ponto crucial que os diferenciava. No entanto, as pesquisas mais recentes indicam que isso é completamente falso, e que diversos animais, como cabras, cavalos e cachorros, não apenas sentem emoções, mas as percebe e responde a elas, nos outros.

Analisando tudo isso, certamente é possível que os cães estejam percebendo e respondendo ao estresse de seus donos. Os autores do estudo acreditam que este é o caso, mas não parecem ter feito questionamentos sobre eventos de vida compartilhados, como lutos, fim de relacionamentos, mudanças de casa, alterações na rotina devido a um novo emprego do dono, ou outros aspectos que podem ter feito tanto o dono quanto o animal se sentirem estressados, independentemente de como o outro está se sentindo.

No entanto, seria quase impossível medir os efeitos destes eventos em cada um deles independentemente, já que eles são, por definição, compartilhados.

O fim dos relacionamentos humanos também pode afetar os cães. Jaromir Chalabala / shutterstock
O fim dos relacionamentos humanos também pode afetar os cães. Jaromir Chalabala / shutterstock

Traços de personalidade, como o de ser minucioso, parecem estar correlacionados a mais estresse nos cães, principalmente nos machos, enquanto o fato da dona ter declarado ter uma personalidade neurótica foi relacionado a níveis mais baixos de estresse nos animais machos, mas mais altos nas fêmeas.

Foi sugerido que a razão para os efeitos diferentes do neuroticismo pode estar na ideia de que as fêmeas de qualquer espécie mamífera são mais responsivas às emoções dos outros, fazendo com que as cachorras fossem mais diretamente afetadas pelos níveis de ansiedade de suas donas. Por outro lado, pessoas neuróticas e ansiosas tendem a criar vínculos mais fortes com seus animais de estimação, usando-os frequentemente como apoio emocional. Isso pode fazer com que os cães machos se sintam mais seguros e, portanto, menos estressados.

É um pouco mais difícil ver a conexão entre ser minucioso e ter um cachorro macho mais estressado, mas isso provavelmente depende da forma como este traço é observado. Por exemplo, uma pessoa que é mais minuciosa em seu trabalho pode ter menos tempo para passar com seu cão e, portanto, desenvolver um vínculo mais fraco com ele. Uma pessoa que tenta ser mais minuciosa em relação à forma como cuida do cachorro pode ter mais regras e ser menos flexível ao permitir mais liberdade ao animal, o que pode contribuir para aumentar os níveis de estresse dele, mas é impossível tirar conclusões sem uma definição mais detalhada deste conceito.

Os donos devem considerar os resultados deste estudo e analisar como o seu estilo de vida e o relacionamento com seus cães podem estar afetando o bem-estar mental de ambos. Embora ainda existam muitas perguntas sem resposta sobre os níveis de estresse dos donos e dos cães, fica claro que eles não são independentes um do outro. Além disso, se estivermos passando por um momento particularmente estressante na vida, talvez precisemos tentar encontrar maneiras de reduzir o impacto provocado em nossos fiéis companheiros caninos.