Estudo indica o treino RÁPIDO que melhora a memória e previne o Alzheimer

Aumentar a memória e a capacidade de aprendizado em apenas seis minutos. Esse pode ser um dos possíveis benefícios do treino HIIT (High Intensity Interval Training), segundo um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Otago, na Nova Zelândia, publicado no The Journal of Physiology.

Para quem não conhece essa modalidade, o HIIT se trata de um treino intervalado de alta intensidade, realizado em pouco tempo. Considerando justamente esse breve período de execução, a pesquisa neozelandesa descobriu que houve um aumento do fluxo sanguíneo especialmente durante a parte de “ciclismo” praticada dentro dos princípios do HIIT.

Esse efeito, segundo os cientistas, ajuda na produção de uma proteína conhecida como BDNF, que vem sendo estudada como tratamento para distúrbios neurodegenerativos. Com o aumento nos níveis de BDNF no organismo, a vida útil do cérebro ainda é prolongada, o que evita o aparecimento de doenças como Alzheimer e Parkinson.

Além disso, no estudo, também foi relatado que os exercícios do HIIT ajudam na conectividade cerebral, o que auxilia na melhora da memória e nos sintomas de pessoas com comprometimento cognitivo leve (CCL). Ou seja, a modalidade pode ser excelente para quem busca uma melhor qualidade de vida a longo prazo.

Resultado em poucos minutos

Para entender os efeitos da atividade no corpo, os pesquisadores compararam a produção de BDNF em quatro aspectos diferentes:

...

Veja mais


Veja também

Astro de Thor fará pausa na carreira após descobrir risco de doença comum em idosos
8 exercícios de HIIT para começar a praticar em casa hoje
Setembro Roxo: 6 mitos e verdades sobre o Alzheimer
Alzheimer: estudo descobre possível tratamento não invasivo
Crossfit: 6 equipamentos essenciais para quem quer começar a prática esportiva