Estudantes realizam manifestação virtual contra o governo Bolsonaro

Estudantes marcam protesto virtual contra governo Bolsonaro (Photo by Andre Lucas/picture alliance via Getty Images)

Contra o governo do presidente Jair Bolsonaro, organizações políticas de juventude promovem uma manifestação virtual, marcada para sexta-feira, dia 8 de maio, às 12h. O ato unificado de 16 movimentos prevê ações coordenadas nas redes sociais, pedindo “Fora Bolsonaro!”

E nos siga no Google News:

Yahoo Notícias | Yahoo Finanças | Yahoo Esportes | Yahoo Vida e Estilo

“Vamos responder a irresponsabilidade e o autoritarismo de Bolsonaro com luta”, dizem representantes das entidades na convocação.

Leia também

A mobilização tem como tema “Em defesa dos Direitos, da Vida, da Dignidade e das Liberdades Democráticas. Ditadura Nunca Mais: Fora Bolsonaro!” e reúne a União Nacional dos Estudantes (UNE) e mais 15 entidades da educação e do movimento social.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Diante da pandemia do novo coronavírus, as entidades criticam o comportamento do presidente Jair Bolsonaro e a condução da crise pelo governo.

“O problema é que Bolsonaro, em vez de assumir uma postura de presidente diante da crise, reproduz teorias conspiracionistas de que o vírus é uma armação do comunismo e encontra-se completamente alinhado a Donald Trump, que tem impedido acordos internacionais e retirado apoio à OMS pelo mesmo motivo. Além de roubar respiradores e outros equipamentos de proteção do Brasil e de outros países”, afirma a convocação. 

“A condução de Bolsonaro é de negação da ciência, criando atritos contra os governadores e prefeitos e estimulando o desrespeito à quarentena. Tudo isso buscando garantir os lucros de uma pequena parcela de banqueiros e empresários. Entre o lucro e a vida, ele escolhe, mais uma vez, o lucro. Em pouco mais de uma semana, Bolsonaro se juntou à aglomerações golpistas, que pediam o fechamento do Congresso e a volta do AI-5”.

As organizações também afirmam que, no Brasil, existe uma gigantesca subnotificação, principalmente entre as pessoas mais pobres. Segundo os movimentos, “a realização de testes para o COVID-19 tem caráter elitizado, a população negra, por exemplo, é completamente ignorada pelo radar das estatísticas, mesmo compondo 57% do total da população”.

A manifestação vai defender ainda a importância do SUS (Sistema Único de Saúde), das universidades e da pesquisa pública.

Uma das pautas de reivindicação dos jovens é o adiamento do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) neste ano, mesmo com as incerteza geradas pela pandemia do novo coronavírus.

Em entrevistas, a vice-presidente da UNE, Élida Elena, refutou propaganda do Ministério da Educação que pede aos estudantes do Brasil que continuem a estudar, com o suporte de livros e computadores.

“Essa não é a realidade dos estudantes pobres do Brasil que estão querendo acessar a universidade. Todo mundo sabe, o ministro da Educação sabe disso. Mas ele está fazendo uma escolha, quer selecionar mais ainda quem vai entrar na universidade, quem tem mais condição financeira, tirando do povo a oportunidade de entrar na universidade”, denuncia.


Siga o Yahoo Notícias no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.