Estrelas homenageiam Rubén Blades, Personalidade do Ano no Grammy Latino

·2 min de leitura
O artista panamenho Rubén Blades foi homenageado como Personalidade do Ano do Grammy Latino (AFP/Valerie MACON)

As estrelas da música latina homenagearam na quarta-feira à noite (17), em Las Vegas, o artista panamenho Rubén Blades, Personalidade do Ano da 22a edição do Grammy Latino.

O tributo aconteceu na véspera da premiação, que acontece nesta quinta-feira (18), quando a festa da música em espanhol e português retorna ao formato presencial após a crise provocada pela pandemia da covid-19.

"Estou aqui, acima de tudo, para agradecer. Eu não estaria aqui se não fosse por muitas pessoas que me ajudaram a estar aqui", disse Blades.

Carlos Vives, Andrés Calamaro, Oscar D'León e Marc Anthony, entre outras estrelas da música hispânica, cantaram alguns sucessos de Blades.

"Rubén Blades se destaca como um Beatle da salsa", disse o argentino Andrés Calamaro. "É um cronista-poeta da realidade", completou o cantor e compositor, emocionado por participar na homenagem e cantar "Paula C".

"Concretamente, o álbum 'Siembra' é o 'Sgt. Pepper's (dos Beatles) da salsa", disse.

"Obrigado por estarem aqui esta noite! Cuidem-se. Desejo muita saúde e, sobretudo, espero que nunca se deixem vencer pela indiferença. O futuro do mundo inteiro dependerá disso", afirmou Blades.

O panamenho de 73 anos deixou sua marca na indústria musical com uma longa lista de sucessos, que destacam a idiossincrasia e a realidade latino-americanas, como "Buscando América", "Plantación adentro", "Desapariciones" e "Prohibido Olvidar".

Com mais de cinco décadas de carreira, Blades falou com a AFP sobre os projetos para o próximo ano, incluindo um livro autobiográfico, outro de poesia, sua participação na série de televisão "Fear the Walking Dead" e a produção de dois novos álbuns.

"Esperamos ter saúde para continuar trabalhando", disse.

O cantor se apresentará na cerimônia do Grammy Latino nesta quinta-feira com Roberto Delgado & Orquestra, com quem iniciará a breve turnê "Salswing!" nos Estados Unidos, em 20 de novembro.

"Um dos nossos companheiros morreu de covid (o percussionista Carlos Pérez Bidó) e a banda precisava se encontrar, dar um abraço", afirmou.

Nascido no Panamá, Blades foi um dos intérpretes mais emblemáticos do movimento da salsa de Nova York nos anos 1970, com o Fania All Stars.

Seu primeiro sucesso como compositor foi "El Cantante", gravado em 1978 por Héctor Lavoe.

Ao lado do trombonista Willie Colón, ele produziu sete discos em duas décadas, dos quais saíram alguns de seus grandes hits, como "Pedro Navaja" e "Plástico".

"O poeta da salsa" é formado em Direito no Panamá e na Universidade de Harvard. Já venceu oito prêmios Grammy Latino e nove estatuetas do Grammy.

pr/lm/dga/zm/fp/tt

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos