Estrela de "Game of Thrones" se emociona ao relatar maus-tratos que sofreu do pai

Atriz Maisie Williams no destile de outono 2022 de Thom Browne em abril de 2022 na cidade de Nova York. (Foto: Jamie McCarthy/Getty Images)
Atriz Maisie Williams no destile de outono 2022 de Thom Browne em abril de 2022 na cidade de Nova York. (Foto: Jamie McCarthy/Getty Images)

Maisie Williams, conhecida mundialmente por interpretar Arya Stark na série "Game of Thrones", se emocionou ao revelar que cresceu tendo uma relação conturbada com o pai. A artista contou que sofre com problemas de saúde mental desde que era criança.

"Eu tive um relacionamento traumático com meu pai e, desde que me lembro, tenho lutado para dormir", contou em entrevista ao podcast "The Diary Of a CEO", comandado pelo empresário britânico Steven Bartlett. "Quando eu tinha cerca de oito anos, eu estava realmente lutando. Eu fui doutrinada de certa forma. Acho que é por isso que sou obcecada por cultos! Meu mundo virou".

Maisie garantiu o papel na produção da HBO Max aos 12 anos e, nesta época, a escola já havia notado os maus-tratos que ela sofria e começou a fazer as "perguntas certas". Os professores perceberam que ela não comia café da manhã com frequência e acionaram a mãe da atriz para entender o que estava acontecendo. "Acho que muitas das coisas traumáticas que estavam acontecendo, eu nem sabia que estavam erradas", explicou a Barlett.

Por conta dos maus tratos, ela chegou a acreditar que nunca seria feliz na vida: "Eu olhava para as outras crianças e olhava para a alegria e ficava: 'quando isso vem para mim?'. Eu tinha a sensação de uma desgraça iminente quando criança e não sabia como fazer isso desaparecer."

"Para ser honesta, eu tenho pensado muito nisso - não foi por minha causa que essas coisas ruins aconteceram comigo quando criança". Segundo a artista, que hoje tem 25 anos, ela canaliza essa dor em sua arte. "Eu tenho acesso a toda essa confusão e dor no meu trabalho, e realmente sinto isso em cada fibra do meu ser. É tudo fingimento, mas a emoção é real, tudo apenas vem à tona".

"Sinto que agora há algum tipo de fechamento para isso, de que a jornada talvez ajude outras pessoas, que antes era apenas dor, dor, dor e dor", completou Williams.