Estreia de 'Marighella' no Brasil será em ocupação do MTST, afirma Guilherme Boulos

Wagner Moura e a equipe do filme no tapete vermelho do Festival de Berlim, na última semana. (Imagem: Getty Images)
Wagner Moura e a equipe do filme no tapete vermelho do Festival de Berlim, na última semana. (Imagem: Getty Images)

O tapete vermelho com direito à placa em homenagem à vereadora assassinada Marielle Franco durante a passagem pelo tapete vermelho de Berlim da equipe do filme ‘Marighella’ foi só o começo.

Os debates em torno do longa dirigido por Wagner Moura, que traz Seu Jorge no papel do guerrilheiro e escritor assassinado pela ditadura militar, devem se estender ainda por muito tempo, com a tendência de extrapolar a experiência cinematográfica tradicional.

Receba no seu Whatsapp as novidades sobre o mundo dos famosos (e muito mais)

Em outra ação que deve colocar lenha na fogueira e dividir opiniões, o filme tera sua estreia no Brasil em uma ocupação do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST). A informação foi confirmada por Guilherme Boulos, coordenador do movimento social e candidato do PSOL à presidência na última eleição. Veja abaixo o tweet:

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Antes mesmo de estrear, ‘Marighella’ tem sido alvo de ataques de parte do público. Durante o final de semana, centenas de brasileiros acessaram o IMDB, maior site de cinema do mundo, para dar notas baixas e escrever críticas negativas ao filme, muitas delas classificando-o como exaltação à “um terrorista”.

Como os acessos vinham de endereços do nosso país, onde ainda nem houve exibição da obra, ficou configurada fraude. Por isso, o próprio site apagou as avaliações, agora indisponíveis na ficha do longa.

Na quinta-feira, a crítica internacional presente na primeira sessão de ‘Marighella’ na capital alemã aplaudiu a produção, que chegou a ganhar comparações com ‘Tropa de Elite’. A data de estreia no Brasil ainda não foi definida.