Estilista francês cancela desfile em Paris devido a greves contra reforma da Previdência

Por Sarah White e Elizabeth Pineau
Protesto em Paris contra a reforma da Previdência

Por Sarah White e Elizabeth Pineau

PARIS (Reuters) - O estilista francês Christophe Josse decidiu nesta segunda-feira cancelar seu desfile em Paris na semana que vem, culpando as semanas de greves contra a reforma da Previdência pelo fracasso de seus preparativos, no momento em que a cidade se prepara para duas semanas de eventos de moda.

O cancelamento é um sinal dos transtornos que as greves, que atingiram os serviços de transporte nos arredores e dentro da capital, podem causar na Semana de Moda de Paris, no momento em que hotéis, varejistas e restaurantes já somam os custos.

A Semana de Moda Masculina começa em 14 de janeiro com apresentações de grande marcas, como Christian Dior e Louis Vuitton, e será seguida no dia 20 de janeiro pela Semana de Alta Costura, um palco para criações exclusivas feitas à mão.

Josse, que deveria participar da Semana de Alta Costura, disse que parceiros que trabalham com a grife "não puderam garantir sua colaboração".

Uma porta-voz da Federação da Alta Costura e da Moda, que organiza as semanas da moda de Paris, disse que a entidade não está a par de outros cancelamentos, mas que dobrará o número de veículos que transportarão os convidados de um desfile para outro e que disponibilizará ônibus extras no aeroporto.

É comum as marcas trabalharem em suas peças até a última hora e contarem com entregas urgentes de tecidos especiais. As greves dos trens e do metrô reduziram os empregados de muitos pequenos negócios e causaram atrasos nas entregas, inclusive de materiais de outros setores, como a construção.