Este exoplaneta maior que Júpiter orbita estrela "irmã" do Sol

Uma equipe de astrônomos liderada por Natalia Engler, da universidade suíça ETH Zurich, conseguiu capturar imagens diretas de um “superjúpiter”, um exoplaneta gigante gasoso algumas vezes maior que nosso maior vizinho no Sistema Solar. O mundo foi encontrado enquanto eles observavam e caracterizavam o disco de detritos ao redor da estrela HD 114082, em comprimentos de onda da luz visível e infravermelha.

Para o estudo, eles capturaram imagens na luz visível e infravermelha próxima da estrela, localizada em um aglomerado estelar a cerca de 310 anos-luz da Terra. A estrela HD 114082 é jovem, e está cercada por um disco protoplanetário repleto de detritos que, no futuro, podem originar novos planetas.

O exoplaneta na órbita da estrela HD 114082 tem cerca de oito vezes a massa de Júpiter (Imagem: Reprodução/NASA)
O exoplaneta na órbita da estrela HD 114082 tem cerca de oito vezes a massa de Júpiter (Imagem: Reprodução/NASA)

As imagens revelaram um “cinturão” de planetesimais (objetos de poeira, rochas e outros compostos) a cerca de 35 unidades astronômicas da estrela, semelhante ao Cinturão de Kuiper, no Sistema Solar. Ao consultar dados do telescópio TESS, da NASA, os pesquisadores confirmaram que a estrela estava acompanhada do superjúpiter.

O planeta foi identificado primeiro pelo TESS no ano passado, e os novos dados ajudaram a confirmar que parece ter quase oito vezes a massa de Júpiter, e que orbita sua estrela a uma distância parecida àquela entre o Sol e Vênus. “O HD 114082 é um exemplo de sistemas planetários jovens, onde a presença de companhias planetárias à estrela é inferida a partir da descoberta de um disco de detritos”, disse Engler.

Além das implicações para estudos de estrelas jovens e sistemas planetários ainda em formação, o estudo pode trazer informações importantes também para a compreensão do Sistema Solar. “Os estudos de imagens diretas da última década mostram que o material circunstelar em vários discos de detritos está confinado a estruturas semelhantes a anéis, similares aos cinturões de detritos do Sistema Solar”, explicou.

O artigo com os resultados do estudo será publicado na revista Astronomy & Astrophysics e pode ser acessado no repositório online arXiv, sem revisão de pares.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: