Estamos muito frustrados, mas voltaremos, dizem Backstreet Boys após show adiado em SP

AMON BORGES
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, BRASIL, 26-02-2010, 23h: Música: os integrantes do grupo norte-americano Backstreet Boys durante apresentação no Credicard Hall, em São Paulo (SP). (Foto: Adriano Vizoni/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Os Backstreet Boys tiveram de cancelar o show que fariam neste domingo (15) no Allianz Parque (zona oeste de São Paulo) por causa da pandemia de novo coronavírus. A boy band se manifestou e enviou um vídeo ao Lineup com mensagem aos fãs.

“Estamos muito frustrados porque tivemos uma excelente turnê na América do Sul”, dizem no vídeo em que Kevin é o porta-voz. “Nós queremos que todos saibam que, assim que humanamente possível, nós voltaremos e faremos esse show acontecer, porque nossos fãs no Brasil são muito importantes para nós.”

Em nota na tarde deste sábado (14), a Live Nation também se pronunciou. “A segurança e o bem-estar de nossos fãs, funcionários e de todas as pessoas são sempre nossas principais prioridades. Lamentamos a decepção dos fãs”.

Como forma de combater a ampliação da crise do coronavírus em São Paulo, a prefeitura da capital e o governo do estado cancelaram por tempo indeterminado todos os eventos com aglomerações organizados pelo poder público.

Para eventos particulares não há proibição, mas uma recomendação para que sejam evitados.

Ainda de acordo com a Live Nation, os fãs devem manter os ingressos em mãos, pois serão válidos para a nova data que será divulgada em breve, bem como a política de reembolso do valor da entrada para aqueles que não conseguirem comparecer na nova data.

Seria o terceiro show da boy band nesta passagem pelo Brasil. O primeiro foi em Uberlândia (MG), na quarta (11), para 6.500 pessoas. Já o segundo foi no Rio de Janeiro, nesta sexta (13), na Jeunesse Arena -o público não foi divulgado.

O quinteto formado por Brian, Kevin, Nick, A.J. e Howie D. lançou em janeiro de 2019 o álbum “DNA” e iniciou uma turnê mundial em maio na Europa. De fevereiro a março, finalizou a série de apresentações da DNA World na América Latina, que teve na agenda países como México, Colômbia, Chile, Argentina e Uruguai.

A Covid-19 tem causado o cancelamento de diversos eventos musicais. O Lollapalooza Brasil, agendado para 3, 4 e 5 de abril, no autódromo de Interlagos (zona sul de São Paulo), anunciou nesta sexta (13) que foi reagendado para os dias 4, 5 e 6 de dezembro.

As versões da Argentina e do Chile seguiram o mesmo movimento e, do fim de março, passam para o fim de novembro.

No Brasil, os sete shows da boy band inglesa McFly, que seriam em março, foram transferidos para setembro e outubro: São Paulo (24/9), Curitiba (25/9), Porto Alegre (27/9), Uberlândia (29/9), Ribeirão Preto (1º/10), Belo Horizonte (3/10) e Rio de Janeiro (4/10).

“Devido a consequências imprevisíveis da crise de saúde mundial e o alerta de pandemia de coronavírus da OMS, a turnê do McFly no Brasil foi adiada,” explicou a banda no Instagram.

A passagem conjunta de Offspring e Pennywise no Brasil, em março, também foi adiada por tempo indeterminado.

O Coachella, um dos principais festivais do mundo, foi remarcado nesta semana. O evento na Califórnia seria realizado de 10 a 12 e 17 a 19 de abril. Agora, vai ser de 9 a 11 e de 16 a 18 de outubro.

As cantoras brasileiras Anitta e Pabllo Vittar são duas representantes do Brasil no lineup, que ainda conta com Rage Against the Machine, Travis Scott, Frank Ocean, Lana Del Rey e Fatboy Slim.

Performances de bandas como o Pearl Jam e da cantora Madonna também tiveram de ser canceladas.

O grupo liderado por Eddie Vedder adiou a primeira parte da turnê Gigaton, que começaria em 18 de março e contaria com 17 shows na América do Norte.

Em Paris, Madonna seguiu a recomendação da polícia local e cancelou duas apresentações da turnê Madame X, em 10 e 11 de março.

O Ultra Music Festival, em Miami, o Tomorrowland Winter, em Alpe d’Huez (França), e shows de Bob Dylan no Japão também seguiram o caminho.