Estátuas de Drummond e Mário Quintana são vandalizadas com tinta

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - As estátuas dos poetas Carlos Drummond de Andrade (1902-1987) e Mário Quintana (1906-1994) foram vandalizadas na manhã desta quarta-feira (19), na Praça da Alfândega, Centro Histórico de Porto Alegre.

Monumento em homenagem à literatura brasileira, as imagens em bronze surgiram com uma tinta amarela descaracterizando a obra criada pelo artista plástico austríaco Xico Stockinger (1919-2009).

Não há indícios dos responsáveis, mas não foi a primeira vez que o monumento foi vandalizado. Nos últimos anos, as estátuas já foram pintadas de laranja e já tiveram artefatos roubados, como o livro que ficava nas mãos de Drummond, que desapareceu em 2015 e nunca foi encontrado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos