Escritora britânica Hilary Mantel, duas vezes vencedora do Booker Prize, morre aos 70 anos

A escritora britânica Hilary Mantel, primeira romancista a vencer duas vezes o prestigioso Booker Prize, faleceu aos 70 anos - anunciou a editora HarperCollins.

"Com grande tristeza, a HarperCollins informa que a autora de sucesso 'dame' Hilary Mantel morreu de maneira tranquila, cercada por sua família e amigos, ontem (quinta-feira) aos 70 anos", afirmou a editora em um comunicado.

A escritora publicou seu primeiro livro em 1985 ("Every Day is Mother's Day"), mas é conhecida, em particular, por sua trilogia sobre a turbulenta vida de Thomas Cromwell, um dos principais nomes da Reforma na Inglaterra.

Os dois primeiros volumes da série traduzida para 41 idiomas ("Wolf Hall" e "Tragam os Corpos") renderam o Booker Prize em 2009 e 2012. O terceiro volume ("O Espelho e a Luz"), lançado em 2020, foi elogiado pela crítica, e o lançamento provocou muitas filas nas livrarias.

Mantel (antes Hilary Mary Thompson) nasceu em 6 de julho de 1952, em Derbyshire (centro de Inglaterra), em uma família de origem irlandesa. Em suas memórias ("Giving Up the Ghost", 2003), afirma que cresceu com a desvantagem de ser "mulher, do norte e pobre".

- Catriona, fantasma comovente -

No livro, ela imagina o que teria sido sua vida com uma filha que jamais teve, porque ficou estéril depois de sofrer uma doença desconhecida na época, a endometriose.

Batizada de Catriona, a filha imaginária foi sem dúvida o fantasma mais comovente dos vários espectros que marcaram sua obra.

Depois de estudar Direito na London School of Economics e, em seguida, na Universidade de Sheffield, ela viajou com o geólogo Gerald McEwen, que se tornaria seu marido, para Botsuana, onde moraram por cinco anos. Depois, ela morou por quatro anos na Arábia Saudita, antes de retornar para a Grã-Bretanha em meados dos anos 1980.

"Hilary era a melhor de sua geração, deste período, uma romancista importante, corajosa, com uma imensa empatia (...) Vamos sentir muita falta de sua companhia, de seu humor e sempre amaremos seu incrível legado literário", afirmou Charlie Redmayne, presidente da HarperCollins no Reino Unido.

Cada um de seus livros oferecia "uma trama inesquecível de frases luminosas", elogiou seu ex-editor Nicholas Pearson, que revelou que a escritora ainda trabalhava no mês passado em um novo livro.

"Nós perdemos um gênio", tuitou a autora J.K. Rowling, autora da saga Harry Potter.

"Todos no Booker Prize estão profundamente tristes com a morte de Hilary Mantel", afirmou a conta no Twitter do principal prêmio literário britânico.

mhc/gmo/pz/me/eg/fp/tt