Escritor argentino lança livro com histórias bizarras da Copa do Mundo

Logo da Copa do Mundo de 2020 em Doha, no Catar

Por Lucila Sigal

BUENOS AIRES (Reuters) - Um homem pulou em um rio cheio de crocodilos para conseguir ingressos para a Copa do Mundo de 2010, um jogador do Uruguai voltou a campo logo após sofrer um ataque cardíaco e um casal russo se separou após discutir sobre quem era o melhor jogador, Lionel Messi ou Cristiano Ronaldo.

Esses são alguns dos fatos inusitados que o escritor argentino Luciano Wernicke compilou na última versão de seu livro "Histórias Insólitas dos Mundiais de Futebol", publicado em 20 idiomas, antes da partida de abertura da Copa do Mundo do Catar, no domingo.

Wernicke analisa a cobertura do evento esportivo mais importante do mundo de "diferentes perspectivas", disse ele em entrevista à Reuters, já que "mesmo as menores histórias de alguma forma descrevem o que é a paixão pelo futebol".

Em 1994, ele escreveu, um albanês entrou em uma casa de apostas e apostou sua esposa em uma vitória da Argentina contra a Bulgária. Seu escolhido para vencer perdeu por 2 x 0, o que posteriormente levou à perda de sua horrorizada esposa também.

Dezesseis anos depois, uma estação de rádio do país anfitrião do Mundial, a África do Sul, ofereceu dois ingressos para a final para quem fizesse a coisa mais louca para consegui-los. O vencedor: um homem que se jogou em um rio cheio de crocodilos.

Com um novo capítulo a cada Copa do Mundo, esta é a terceira edição do livro de Wernicke, que já está reunindo curiosidades bizarras sobre o próximo torneio do Catar, o primeiro a ser realizado em um país do Oriente Médio.

"Há muitas coisas interessantes, começando com todas essas reivindicações de boicote e as questões de direitos humanos", disse Wernicke, de 52 anos. "Fora do esporte, sem dúvida haverá muitas. O lado social vai pesar muito."