Escavação asteca estabelece novos recordes enquanto mistério real se aprofunda

Escavação asteca estabelece novos recordes enquanto mistério real se aprofunda

Por David Alire Garcia

CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - Um extenso depósito de oferendas de rituais astecas encontrado no centro da Cidade do México próximo aos degraus do que teria sido o santuário mais sagrado do império antigo forneceu novos insights sobre ritos religiosos pré-hispânicos e propaganda política.

Selado em caixas de pedra há cinco séculos, o conteúdo de uma gaveta encontrada no centro exato do que antes era um estrado cerimonial circular representa um recorde de oferendas de objetos marinhos da costa do Pacífico e do Golfo do México, incluindo mais de 165 estrelas do mar de vermelho intenso.

Os arqueólogos acreditam que os sacerdotes astecas colocaram cuidadosamente essas oferendas na caixa na plataforma elevada para uma cerimônia provavelmente com a presença de milhares de espectadores em transe em meio ao rugido dos tambores.

"Pura propaganda imperial", disse Leonardo López Luján, arqueólogo chefe do Projeto Templo Mayor do Instituto Nacional de Antropologia e História do México (INAH), que está supervisionando a escavação, descrevendo o provável espetáculo.

Na mesma caixa, os arqueólogos já haviam encontrado uma onça sacrificada vestida de guerreiro associada à divindade asteca Huitzilopochtli, o deus da guerra e do sol, antes que a pandemia do coronavírus obrigasse as escavações a serem suspensas por mais de dois anos.

A caixa retangular parcialmente escavada, que data do reinado do maior imperador asteca, Ahuitzotl, que governou entre 1486 e 1502, agora mostra uma misteriosa protuberância no centro, sob o esqueleto da onça, indicando algo sólido por baixo.

“Podemos imaginar que o que está sob a onça é algo de enorme importância”, disse López Luján. "Esperamos uma grande descoberta", acrescentou.