Erosão da costa ameaça castelos do Reino Unido

A erosão da costa ameaça vários castelos emblemáticos do patrimônio britânico, incluindo aquele onde teria nascido o rei Artur - alertou nesta sexta-feira (23) o órgão público English Heritage, que administra cerca de 400 monumentos históricos na Inglaterra.

"Vários dos mais importantes monumentos históricos costeiros da Inglaterra estão ameaçados de desaparecer, devido à aceleração da erosão do litoral", afirma a agência em um comunicado.

Entre esses monumentos, a English Heritage menciona seis castelos "particularmente ameaçados", por "sua situação exposta e pela fragilidade das rochas sobre as quais foram construídos".

Estes incluem, entre outros, o forte medieval de Tintagel, na Cornuália, onde o rei Arthur teria nascido; o castelo de Piel, no condado de Cúmbria; ou o forte Bayard's Cove, de 500 anos de antiguidade e localizado na ponta do estuário de Dart, no sul do país. Para tentar salvá-los, a agência pede doações, na esperança de arrecadar vários milhões de libras.

“Para que esses monumentos costeiros sobrevivam nas próximas décadas, devemos reforçar suas muralhas e construir defesas contra a ação do mar”, explica English Heritage.

Por sua natureza insular, o Reino Unido está particularmente exposto à erosão costeira.

Um relatório recente da agência ambiental britânica estimou que uma em cada seis pessoas estava em risco de sofrer as consequências de inundações provocadas pela chuva e pelo aumento do nível do mar, e que um milhão de pessoas serão diretamente afetadas pelo aumento das águas antes do fim do século.

Desde 1900, o nível do mar subiu 16,5 centímetros no Reino Unido, e seu índice de elevação anual dobrou em um século, de acordo com um informe da agência meteorológica britânica publicado em julho.

mhc/gmo/tmt/pz/me/mar/tt