Erasmo Viana é novamente machista ao tentar explicar traição masculina: “Procriar”

·3 minuto de leitura
Erasmo Viana está em
Erasmo Viana está em "A Fazenda 13" (foto: reprodução / playplus)

Ao vivo em “A Fazenda 13” Erasmo Viana tenta propagar a imagem de um homem desconstruído, atento ao seu tempo e pronto para discutir os mais diversos problemas sociais, mas no dia a dia o peão escorrega várias vezes e reafirma pensamentos.

Na tarde desta quarta-feira (6), o peão reforçou um pensamento arcaico sobre homens que traem em seus relacionamentos. Ele relatou a Tiago Piquilo, Rico, Dayane e Erika uma conversa que teve com um cirurgião plástico durante a gravação de um podcast.

Leia também:

“Ele deu uma explicação dos homens das cavernas, fisiologicamente falando, tem algo diferente da mulher no sentido de procriar. O cara saía namorando com todas as mulheres para querer procriar, para fazer filho. O homem tem algo fisiológico que tem uma necessidade maior de procriar, que consequentemente, seria de fazer sexo, ter experiências diferentes”, começou com a relativização do homo sapiens sapiens, a subespécie que somos hoje, com os australopithecus, que surgiram na terra há 4 milhões de anos.

E o influenciador digital continuou: “Ele me exemplificou isso com estudos, não justificando, porque aí vai muito de valores também, aí você já entra em outra esfera. Não quero justificar, falar que é OK o cara trair. Mas, existe uma explicação fisiológica nesse sentido. O homem, desde a antiguidade, foi em busca de procriar, qualquer buraco o cara se metia.”

Viana ainda reforçou que em 4 milhões de anos o homem hoje é o mesmo. “Achei muito interessante, não justifica nada de traição, mas a gente compreende mais o nosso comportamento, do homem ter mais necessidade de conhecer mulheres diferentes”, afirmou.

O peão ainda tentou explicar a relação de homens e mulheres com o sexo, como se fosse uma coisa binária. “Mulher é diferente, se a mulher sai para transar com o cara, é muito mais fácil ela se apaixonar pelo cara do que o homem. O homem consegue ter essa frieza, digamos assim”, pontuou.

Erasmo terminou a explanação falando sobre a dor do homem na sociedade atual e o peso que ele carrega: “A sociedade traz valores para a gente, para os homens, principalmente. Família, muita coisa que não justifica o cara sair transando com garota de programa, essas coisas, mas é algo muito normal na sociedade, acontece muito. Infelizmente, acabam casamentos, histórias lindas. São coisas que você não tem Ciência que explique, que justifique isso, nada justifica o cara trair. Ele quis me exemplificar comportamentalmente.”

Vale ressaltar que traição não tem a ver com comportamento ancestral já que as relações, como são postas hoje, são fruto de uma construção social a longo prazo. Muito do que entendemos como traição e fidelidade, no Brasil, vem da construção católica e ocidental com mais de 500 anos de história.

“Ter um caso geralmente é sinal de que as coisas não estão certas com o relacionamento. Sem as habilidades necessárias para curar os problemas, um parceiro pode se envolver em um caso como uma forma inadequada de tentar satisfazer suas necessidades – seja por intimidade, por se sentir valorizado, por ter mais sexo, e assim por diante”, conta o professor de psicologia social e ciência dos relacionamentos na Universidade Deakin, na Austrália, à revista “Super Interessante”.

Erasmo já protagonizou falas machistas em outras ocasiões do programa e ajudou a reforçar situações machistas contra Erika durante a lidença dela no programa. 

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos