Engenheiros da Tesla detectam e ajudam a corrigir bug em processadora de bitcoins

Marcus Couto
·2 minuto de leitura
  • Engenheiros da Tesla de Elon Musk ajudaram a corrigir um bug em um servidor de pagamentos de bitcoin.

  • O sistema funciona em esquema de código aberto.

  • Empresa detectou e auxiliou na correção das falhas.

A fabricante de veículos elétricos Tesla, do bilionário sul-africano Elon Musk, demonstrou mais uma vez o seu comprometimento com a tecnologia de criptomoedas e, mais especificamente, do bitcoin.

Leia também:

Depois de ter anunciado que passará a aceitar bitcoins como pagamento por seus carros, e que essas moedas não serão convertidas para dólar, e sim armazenadas, os engenheiros da empresa ajudaram a identificar e corrigir um bug em uma processadora de bitcoins.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

O bug foi detectado no BTCPay, um sistema de código aberto que viabiliza transações em bitcoin, e atualizações foram divulgadas para corrigir a falha.

Não foi divulgado se o BTCPay é o sistema utilizado pela Tesla para processar os pagamentos de bitcoin da empresa, mas Musk havia revelado que sua companhia estava apostando em uma solução de código aberto.

Bitcoin

O bitcoin é a mais famosa e valiosa criptomoeda do mundo atualmente. Começou a ser negociada publicamente em 2010, quando custava centavos de dólar, e desde então vivenciou uma vertiginosa valorização.

Até 2020, seu preço flutuava em torno dos R$ 10 mil, e chegou a cerca de R$ 3 mil no ano passado.

Mas, a partir da virada do ano, o ativo viu seu preço subir constantemente, e agora é negociado a quase R$ 60 mil, depois do “embarque” de grandes empresas, como a Tesla de Elon Musk, e de outros participantes institucionais do mercado.

Criptomoedas

As criptomoedas são uma classe de ativos digitais, baseados na blockchain – uma espécie de “livro de registros” digital. Na blockchain, é possível registrar de forma transparente a entrada de novos bitcoins no mercado (após serem “minerados”) e também transações entre diferentes carteiras.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube