Engenheiro militar é designado substituto em subpasta na Cultura

EDUARDO MOURA
·1 minuto de leitura

BELO HORIZONTE, MG (FOLHAPRESS) - Paulo Cezar Dias de Alencar, coronel da reserva do Exército, foi escolhido para ser substituto eventual do cargo de secretário de Desenvolvimento Cultural, pasta que integra a Secretaria Especial da Cultura do governo Bolsonaro. A portaria foi publicada no Diário Oficial da União desta quarta (28) e é assinada pelo ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio. A Secretaria Nacional de Desenvolvimento Cultural é comandada por Maurício Noblat Waissman, que se apresenta nas redes sociais como "cristão, conservador, bolsonarista raiz, escritor, palestrante, professor, advogado, artista plástico e cronista dos absurdos tragicômicos do cotidiano". É de responsabilidade da pasta principalmente a infraestrutura de espaços culturais. Formado em engenharia pelo Instituto Militar de Engenharia, o IME, Alencar ocupou o cargo de assessor técnico em engenharia civil no Superior Tribunal Militar, o STM, em Brasília, de 2018 até o ano passado. Em setembro de 2019, foi nomeado para um cargo comissionado de coordenação dentro do Ministério da Infraestrutura. Em agosto deste ano, foi nomeado para o Desenvolvimento Cultural, como diretor do Departamento de Desenvolvimento, Análise, Gestão e Monitoramento. Outra pasta da Secretaria Especial da Cultura, comandada por Mario Frias, está sob mando de um militar. A Secretaria de Fomento e Incentivo à Cultura é chefiada pelo André Porciuncula, um capitão da PM. Nas redes, ele se mostra defensor do presidente Jair Bolsonaro, já fez críticas aos "autoproclamados iluministas" e posta frases como "a cultura é um insight espiritual de primeira grandeza, é o evento teofânico em que o culto (cultura) brota em uma sociedade e define todos os demais aspectos da existência humana". A Fundação Nacional de Artes, a Funarte, também vinculada à Secretaria Especial da Cultura, é comandada desde setembro por Lamartine Barbosa Holanda, coronel da reserva do Exército.