Empresário bolsonarista diz que seu coworking para influenciadores tem portas abertas para Felipe Neto

·2 minuto de leitura
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 03.03.2021 - O empresário Otávio Oscar Fakhoury, que é apoiador do presidente Jair Bolsonaro e é alvo dos inquéritos do Supremo Tribunal Federal sobre fake news. (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress) ORG XMIT: AGEN2103031916258419
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 03.03.2021 - O empresário Otávio Oscar Fakhoury, que é apoiador do presidente Jair Bolsonaro e é alvo dos inquéritos do Supremo Tribunal Federal sobre fake news. (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress) ORG XMIT: AGEN2103031916258419

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O espaço de coworking criado pelo empresário bolsonarista Otavio Fakhoury para fornecer estrutura a influenciadores e produtores de conteúdo começou a funcionar. Já abriga a produção de um programa semanal apresentado por nomes como Guilherme Fiuza, Rodrigo Constantino e outros comunicadores pró-Bolsonaro.

Empresários que têm sido procurados pela equipe de Fakhoury para embarcar no projeto dizem que o mote é reunir gente alinhada à visão conservadora, mas Fakhoury nega. Segundo ele, o espaço não tem viés ideológico e é voltado para jornalistas independentes, correspondentes internacionais, influenciadores e youtubers.

"O Felipe Neto, se quiser parar de trabalhar de casa, trabalha lá [no coworking]. Quando ele está em São Paulo para fazer um vídeo, vai lá", diz.

Segundo o empresário, a estrutura foi montada em um andar de um escritório que já era dele na Faria Lima, em São Paulo, sem sócios nem financiamento.

"Tendo sucesso, eu quero replicar a ideia e fazer em várias cidades do Brasil com sócios. O primeiro eu abri sozinho porque quero lançar o conceito", afirma.

Fakhoury diz que tem planos de criar um canal de TV com uma linha editorial de direita para fazer contraponto às emissoras atuais, que ele considera alinhadas à esquerda. Mas, segundo o empresário, o projeto não está na pauta imediata.

Desde o mês passado, ele vem tentando organizar um jantar com outros empresários e influenciadores para apresentar a ideia.

"Eu acho que esse tipo de coisa eu só vou divulgar depois. Se eu começar a falar disso antes, mela o jantar, sai na imprensa. Aí vocês vão publicar que o jantar é do gabinete do ódio", diz.

Em abril, a casa de Fakhoury ia ser usada para um almoço de mulheres empresárias com o presidente Jair Bolsonaro, organizado pela líder do movimento Brasil de Ideias, Karim Miskulin, mas foi transferido para outro local em cima da hora.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos