Empreender ajuda a investir melhor, e vice-versa

As habilidades necessárias para tocar um negócio ajudam a ter uma visão melhor sobre as empresas em que se investe (Getty Images)

Graças a um movimento do mercado, à internet e também a um esforço de conscientização de diversos atores da economia, tanto o mundo dos investimentos como o empreendedorismo visivelmente têm ganhado força no Brasil. Quando pensamos individualmente, no entanto, muitas vezes uma questão surge para quem está pensando em aplicar seus recursos: devo empreender ou investir?

Na minha opinião, essa pergunta não tem uma resposta excludente. Como entusiasta do mercado de capitais, eu acredito que as duas ações são muito importantes. E, para melhor dizer, complementares. Eu, por exemplo, tenho um background no mercado financeiro e invisto há anos.

Toda essa expertise em análise de empresas tem me auxiliado muito no meu negócio: a casa de análise financeira Suno Research. Por outro lado, minha vivência e experiência como empreendedor também complementa meu papel de investidor, permitindo agregar uma visão mais prática às minhas análises.

Leia mais

O grande investidor Warren Buffett já defendia esse comportamento e não é à toa. Aliando as duas atividades, você pode aplicar o conhecimento obtido pela análise das empresas nas quais você investe no seu negócio. Ou, por outro lado, pode melhorar a leitura dos seus investimentos e analisar melhor um setor na Bolsa de Valores, por exemplo, a partir dos conhecimentos de mercado adquiridos ao empreender.

Então, quando pensar em qual caminho deve priorizar, considere os dois. Entendo que nem sempre há recursos disponíveis para tanto, e seja necessário focar na abertura de um negócio. No entanto, separe, um valor para investimento, mesmo que seja pouco. Aprender a equilibrar essa balança serve, inclusive, como estímulo para desenvolver habilidades diferentes que serão necessárias na trajetória de empreendedor.

Felizmente, hoje em dia, com a internet, ficou muito mais fácil e barato começar um negócio. Isso porque ela permite que você divulgue e venda seus produtos com pouco investimento, em uma escala global. Pegue o exemplo de em um e-book. Em menos de 24 horas, é possível publicá-lo via Amazon e vendê-lo em vários lugares do mundo. Isso é muito positivo.

Assim como entusiasta do mercado de capitais, sou grande incentivador do empreendedorismo. Afinal de contas, um precisa do outro. Da mesma forma que os empreendedores precisam do mercado de capitais para financiar seus negócios, o mercado de capitais precisa de bons empreendedores. Quando investimos em ações, não estamos fazendo nada mais que investir no negócio de alguém. Torço para que esse movimento cresça cada dia mais, alimentando essa roda que financia a prosperidade.