Emilia Clarke revela que passou por duas cirurgias no cerébro após 'Game of Thrones'

(Imagem: divulgação HBO)

Quem vê Emilia Clarke esbajando autoconfiança no papel de Daenerys Targaryen, a “Mãe dos Dragões” em ‘Game of Thrones’, nem desconfia do drama que a atriz passou na vida real enquanto a série da HBO se tornava um dos maiores fenômenos da cultura pop. Com um texto publicado na revista New Yorker, publicado nesta quinta-feira (21), ela revela ter passado por duas cirurgias por conta de aneurismas cerebrais, em 2011 e 2013.

Receba no seu Whatsapp as novidades sobre o mundo dos famosos (e muito mais)

“Quando todos os meus sonhos de infâncias pareciam estar se tornando realidade, eu quase perdi minha mente e a minha vida”, conta, lembrando que o primeiro problema aconteceu logo após o término das filmagens da primeira temporada. Na época, a atriz se viu catapultada de uma até então mera desconhecida para uma estrela reconhecida por fãs em todo o mundo.

Em seu relato, Emilia conta que sofria com graves dores de cabeça, tontura e vômitos até que desmaiou no vestiário de uma academia, em fevereiro de 2011, aos 24 anos. Levada às pressas para o hospital, foi diagnosticada com hemorragia subaracnoidea, um tipo de aneurisma que, em um terço dos casos, chega a ser fatal. Passou então pela primeira cirurgia.

Leia mais: Livro que inspirou ‘Bird Box’ vai ganhar sequência

Duas semanas após o incidente, ainda internada e em recuperação, ela não conseguia nem lembrar o próprio nome completo. “Nunca tinha sentido um medo como esse – uma sensação de desgraça completa. Eu podia ver a vida diante de mim, e não era uma que valeria a pena viver. Eu sou uma atriz, preciso lembrar minhas falas. E ali não conseguia nem lembrar meu nome”, narra. Emilia estava apresentando sinais de afasia, uma consequência do dano que o cerébro havia sofrido. Passou mais uma semana na UTI, até se recuperar.

Após as filmagens da terceira temporada, em 2013, ela foi submetida a outra cirurgia, por conta de um segundo aneurisma. Desta vez o procedimento foi ainda mais delicado, já que os médicos precisaram abrir seu cérebro e substituir partes do órgão com titânio. “Parecia que eu tinha estado numa guerra ainda mais horrível que a de Daenerys”, define.

Leia mais: ‘Coisa mais linda seria toda mulher ter dignidade respeitada’, define Maria Casadevall

Seis anos depois, a atriz se diz totalmente recuperada e que finalmente perdeu o medo de ter alguma capacidade cognitiva ou sensorial afetada. “Agora digo para as pessoas que o que me tirou foi o bom gosto para homens”, brinca.

Ao final do texto, Emilia Clarke conta que abriu uma instituição beneficente na Inglaterra, seu país natal, chamada Same You, que irá atender pessoas se recuperando de traumas cerebrais e derrames.

Assista a seguir: Será esse o ano de ouro de Ruby Rose