Em uma semana, Globo explora hipnose em novela, jornalismo e reality

Foto: Reprodução/Globo

Nunca se falou tanto sobre hipnose na televisão desde quando Pyong, do ‘BBB 20’, resolveu hipnotizar participantes dentro do reality da Globo. O público repercutiu o assunto nas redes sociais e por incrível que pareça a novela ‘Éramos Seis’ abordou o mesmo tema ao longo desta semana.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

E nos siga no Google News: Yahoo Notícias | Yahoo Finanças | Yahoo Esportes | Yahoo Vida e Estilo

No folhetim, o assunto veio à tona depois que Justina (Julia Stockler), que tinha problemas para conviver com outras pessoas, fez uma sessão de hipnose. Durante o tratamento, a jovem reviveu um trauma de infância e se lembrou exatamente do dia em que seu pai morreu.

Leia também

As cenas mostraram a personagem ainda criança em uma discussão com o pai. Hamilton (Simon Petracchi) estava muito bravo ao ver a filha com uma de suas armas na mão. Emília (Susana Vieira) aparece no quarto logo em seguida e atira com ódio no marido.

A personagem de Susana Vieira não queria que a filha fizesse hipnose, pois tinha medo que o segredo do passado fosse revelado. Depois do ocorrido, ela foi obrigada a confessar o crime.

Em entrevista ao Yahoo!, o presidente do Instituto Omni Hypnosis afirmou que um caso como o apresentado na novela é possível acontecer na realidade, embora não seja muito comum.

Segundo ele, a hipnose acontece com o paciente 100% consciente, apenas sendo induzido a deixar memórias esquecidas e ligadas a traumas virem à tona. “Quando você está conversando com um amigo e ele fala de uma festa, por exemplo, você lembra de uma situação que aconteceu com você ou de alguém em uma festa. É natural. É assim que a memória surge”, explica.

Foto: Reprodução/Globo

Ainda segundo o profissional, as sessões de hipnoterapia são indicadas exatamente pelo fato de os pacientes não se lembrarem de situações que causaram traumas ou até se lembrarem, mas não terem mais ideia do quanto a emoção foi pesada na época.

“Se a gente lembra de um problema a gente vê que aquilo passou e tudo ficou resolvido. Quando uma criança que ainda não tem a capacidade de interpretar o mundo da melhor maneira passa por um trauma só uma sessão de hipnoterapia ou psicoterapia vai buscar essa memória relacionada com o problema”, defende Michel Arruda.

A Globo ainda falará sobre hipnose em uma reportagem do ‘Fantástico’ no próximo domingo (8). Pelo jeito, o assunto continuará rendendo na emissora líder em audiência.