'Estamos lutando pela democracia', diz Daniela Mercury durante turnê nos EUA

***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 22.06.2019: Show da cantora Daniela Mercury, no bar Blue Note, no Conjunto Nacional, em São Paulo. (Foto: Mathilde Missioneiro/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Em turnê pelos Estados Unidos, a cantora Daniela Mercury, 54, foi destaque no jornal New York Times e citada por suas letras que defendem a tolerância e os direitos das mulheres. 

Questionada sobre o fato, ela fala da importância de levantar essas bandeiras. "A sociedade brasileira está lutando pela democracia, lutando contra o autoritarismo, lutando pela educação. Temos que lutar para defender a natureza, os indígenas, as minorias. Direitos humanos. Isso é muito importante."

A reportagem avalia que as falas de Mercury representam o momento do Brasil, que "passa por uma das épocas mais politicamente divididas e voláteis de sua história" e como ela vem lidando com essa questão. 

"Sempre preferi um diálogo com todos os lados. O problema nunca é apenas governo; é a sociedade. Precisamos conversar sobre isso de maneira educada. Lutar de maneira civilizada. Qualquer outra coisa é brutalidade", afirma a cantora.

Ao longa da entrevista, a artista ainda fala sobre as origens de sua música e o significado. "Axé é uma maneira afirmativa de iniciar discussões contra a opressão. Contra a exclusão social. Contra a discriminação racial. Isso para mim era uma nova linguagem poética", afirmou a cantora

"Sou privilegiada porque nunca fui discriminada com base na minha cor ou no meu cabelo", disse ela. "Sou aliada à luta contra o racismo há mais de 40 anos e continuarei sendo".