Em 'Salve-se', Rodrigo Simas diz que beijar acrílico foi um grande desafio

·5 minuto de leitura
*ARQUIVO* COTIA, SP, 18.10.2017: O ator Rodrigo Simas. (Foto: Mastrângelo Reino/Folhapress)
*ARQUIVO* COTIA, SP, 18.10.2017: O ator Rodrigo Simas. (Foto: Mastrângelo Reino/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Entrar no meio de uma novela e ter de gravar seguindo todos os protocolos de segurança necessários por causa da pandemia. Esse foi o desafio dos atores Babu Santana, 31, Rodrigo Simas, 29, Sophia Abrahão, 29, e Gabriela Moreyra, 33, que fazem parte da segunda fase de "Salve-se Quem Puder".

"A gente caiu de paraquedas no meio da trama", definiu Simas. Os 53 capítulos finais da história de Daniel Ortiz foram todos gravados entre agosto e dezembro do ano passado, e serão exibidos a partir desta segunda-feira (17). Será, assim, a única novela da Globo inédita no ar neste momento.

Na história, Rodrigo Simas é Alejandro, amigo de infância de Luna (Juliana Paiva), que vai abandonar todos seus planos para investigar o paradeiro da jovem em São Paulo. Curiosamente, o personagem vai disputar Luna com Téo, papel de seu irmão Felipe Simas na vida real.

Para Rodrigo, uma das coisas mais estranhas das filmagens "foi dar beijo no acrílico", relatou ele, aos risos. Diferentemente de "Amor de Mãe", em que a Covid-19 foi inserida na novela, em "Salve-se Quem Puder", autor e direção decidiram deixar a pandemia de fora.

Desta forma, máscaras não podiam aparecer na frente das câmeras, e os atores gravavam separados por acrílicos até mesmo em muitas das cenas de amor. "No primeiro dia que fui fazer [uma cena de beijo], fiquei muito estressado, porque não depende nada da gente, precisa pegar o posicionamento do olho para encaixar o beijo e aí me dava ataque de riso. Foi bem doido", contou ele em conversa com a imprensa, realizada de forma online na última terça (11).

Juliana Paiva detalhou o processo: "Você tem que chegar o mais próximo possível, mas sem tocar, porque se não, o acrílico embaça, treme." Pior do que isso, segundo descreveu ela, é que enquanto a câmera foca em um ator fazendo o movimento do beijo, o outro tem que ficar do outro lado, vendo o colega "pagar mico". "É constrangedor, mas divertido", completou a atriz.

Para Rodrigo Simas, outro desafio foi não ter o contato de bastidores com o resto do elenco, já que cada um tinha o seu próprio camarim. "A nossa profissão tem um lugar social de troca, de conversa entre os atores sobre o trabalho e sobre a vida que acrescenta muito na nossa profissão. Essa cumplicidade que a gente cria fora faz toda a diferença na cena", disse.

Babu, que entra como o policial federal Nanico, concordou com Simas e acrescentou que foi muito esquisito ter de ensaiar as cenas de máscara. "Foi estranho, mas não arrancou pedaço. Depois de um tempo pegou no tranco e foi maneiro", completou.

Escalado para atuar na proteção de Luna, Kyra (Vitória Strada) e Alexia (Deborah Secco), ele vai se envolver com Ermelinda (Grace Gianoukas). Daniel Ortiz afirma que as cenas do casal estão entre as mais hilárias desta segunda fase.

Quem também promete fazer o público rir é Sophia Abrahão, que entra na história como Júlia. "Apesar de ela ser séria, as cenas que o Daniel criou são muito cômicas. É um humor de situação, espero que a galera se divirta", diz.

E a atriz conta que, mesmo antes da sua estreia na trama, já vem "sendo xingada na internet" por causa da sua personagem que entra para tumultuar a história de um casal. "É uma destruidora de lares", brinca Vitória Strada, 24.

Na trama, Júlia é uma advogada que vai trabalhar para Alan (Thiago Fragoso) e fará uma auditoria na empresa de Rafael (Bruno Ferrari). Vai surgir uma forte atração entre Júlia e o ex-namorado de Kyra, personagem de Strada.

Embora toda a novela já esteja gravada, o autor Daniel Ortiz já revelou que vários finais foram filmados para poder surpreender o público.

Por fim, Gabriela Moreyra entra em "Salve-se" como Aurora, sobrinha de Lúcia (Cristina Pereira), que vai morar na casa de Dominique (Guilhermina Guinle). "Senti muito frio na barriga de entrar assim no meio. E cheguei ficando ali no lugar da Cristina de alguma forma, para poder dar continuidade a trama e trazer novas coisas, novos ares".

A participação de Cristina Pereira, 70, assim como de outros atores mais velhos, foi minimizada nesta segunda etapa por causa dos riscos da Covid.

RUTH E RAQUEL

A atriz Marianna Armellini, 43, já estava na trama desde o início, mas na segunda fase ganha uma nova personagem: Marlene, a irmã gêmea boa e divertida de Verônica.

Na verdade, como a atriz Sabrina Petraglia, a Micaela, não poderia ficar até o fim das gravações por causa da gravidez de Maya (sua segunda filha, que nasceu em dezembro), o embate entre as duas personagens foi adiantado e o papel de Verônica é menor nos novos episódios.

Por isso, as gêmeas têm poucos encontros uma com a outra em "Salve-se". "Achei bom que foi pouco, fiquei pensando na vida da Gloria Pires. Gente, como faz uma novela inteira em que você grava tudo uma coisa, volta e grava tudo de novo como outra? Muda cabelo, roupa, maquiagem. Eu ia enlouquecer", brinca, recordado a interprete de Ruth e a Raquel, em "Mulheres de Areia" (Globo, 1993) .

Marlene, por sua vez, entra no núcleo de humor, um espaço em que Marianna Armellini se sente mais à vontade. "Eu, com a Verônica, estava num lugar de desafio da vilã. Em um momento tão desconfortável para todos nós com a pandemia, voltar para o meu lugar de conforto foi muito bom", disse.

A personagem vai ter embates bem-humorados com Ermelinda. "E não só pelo Babu [o Nanico], mas também pelo Cosme dos Santos [o ator que interpreta o Edgar]. É uma orgia entre os quatro", brinca Daniel Ortiz.

O autor afirmou que foi um "trabalho olímpico" reescrever a novela mais de uma vez -foram quatro versões, segundo ele- e criar variadas saídas para as limitações impostas pela Covid. "Esses personagens foram criados na raça, porque eu não tinha muito tempo para decidir. No final, deu certo. Quando é na raça acho que dá até mais certo do que quando é muito planejado", conclui.