Em reunião ministerial, Bolsonaro afirma que ‘perde o ministério quem for elogiado pelo GLOBO e pela Folha’

André de Souza
A reunião ministerial do dia 22 de abril foi registrada em fotos e vídeos pela Presidência da República

BRASÍLIA - Na mesma reunião em que atacou adversários, reclamou de relatórios da Polícia Federal e usou dezenas de palavrões, o presidente Jair Bolsonaro também fez críticas à imprensa. Ele afirmou, por exemplo, que o ministro que fosse elogiado por alguns veículos de comunicação, como o GLOBO, o jornal Folha de S.Paulo e o site O Antagonisa, seria demitido.

- E que cada um faça, exerça o teu papel. Se exponha. Aqui eu já falei: perde o ministério quem for elogiado pela Folha ou pelo Globo! Pelo Antagonista! Né? Então tem certos blogs aí que só tem notícia boa de ministro. Eu não sei como! O presidente leva porrada, mas o ministro é elogiado - disse Bolsonaro.

Em outro momento, o presidente repetiu uma declaração que deu a jornalistas em frente ao Palácio do Alvorado dizendo que não falaria com eles porque suas falas seriam deturpadas.

Outro que reclamou da imprensa foi o presidente da Caixa Econômica Federal (CEF), Pedro Guimarães. Ele disse que o banco tem 30 mil funcionários trabalhando “sem esse negócio, essa frescurada de home office”. Depois emendou:

- Então o que que a imprensa quer? Que você pague e dane-se os funcionários da Caixa. Mas se morrer dois, Jornal Nacional, presidente Bolsonaro e presidente Pedro irresponsáveis porque abriram. A gente só vai levar porrada.