Em 'Pantanal', intérprete de Renato não considera seu personagem vilão

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - A maldade e a falta de escrúpulos podem ser hereditárias? Para muitos espectadores de "Pantanal", sim, sem dúvida. E Renato, personagem de Gabriel Santana, seria a prova disso. Filho do vilão Tenório (Murilo Benício), ele já vem dando spoilers de seu caráter duvidoso -a tendência é só piorar.

Os indícios de vilania do ex-entregador de aplicativo ficarão mais evidentes depois da morte do irmão Roberto (Cauê Campos), prevista para ir ao ar já nesta quarta-feira (7). O caçula da família do fazendeiro irá morrer pelas mãos de um matador de aluguel contratado pelo próprio pai para outro serviço.

"Ele vai perder o seu maior parceiro e se sentir culpado por ter insistido na mudança da família para o Pantanal", conta o ator. Gabriel diz ainda que a partir da morte do irmão seu personagem começará a se aproximar ainda mais do pai. "Tudo que ele faz é para ter aprovação do Tenório. Não o vejo como vilão, mas é um cara complexo e cheio de dramas", afirma.

Gabriel jura que não é do time de atores que defendem irracionalmente seus personagens, mas justifica as escolhas erradas de Renato. "Cada ator interpreta por um caminho, o Ernesto Piccolo (que fez o primeiro Renato) deve ter ido para outro lado, partindo de outra premissa para justificar as escolhas do personagem, mas eu entendi que ele sempre sentiu uma carência emocional da figura paterna", analisa.

O ator até dá um pequeno spoiler sobre a reta final da produção de Bruno Luperi: a trama segue a primeira versão da novela de Benedito Ruy Barbosa, exibida há 32 anos pela extinta Manchete. Ou seja, ele vai estar envolvido até o pescoço no plano de matar Maria Bruaca (Isabel Teixeira) e José Leôncio (Marcos Palmeira) e ainda vai armar contra Zefa (Paula Barbosa). "Só sei até aí. Depois, eu não sei o que vai acontecer com o Renato", despista.