Em 'Pantanal', após estupro, fãs veneram Alcides e alertam para machismo estrutural

A cena de tortura e estupro sofridos por Alcides (Juliano Cazarré) e Maria Bruaca (Isabel Teixeira) ainda repercutem perante o público de "Pantanal" (Globo). Pelas redes sociais, o nome de Alcides aparecia como um dos assuntos mais comentados na manhã desta quarta-feira (28). Internautas exaltavam a atuação de ambos os atores e também tocavam no tema do machismo estrutural.

"'Eu tô morto por dentro. O Alcides que você conhecia morreu'. É isso que o machismo estrutural faz. Um homem que sofre violência sexual não tem coragem de falar, denunciar, buscar ajuda. Além do trauma, vai ter que lidar com a vergonha de ter 'perdido sua virilidade'", opinou uma seguidora.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

"O Alcides virou meu protegido da novela, está me doendo tanto ver ele sofrendo, eu queria abraçar ele", postou outro. "Os atores que interpretam Maria Bruaca e Alcides estão de parabéns, o que esses dois estão fazendo nesses últimos capítulos de 'Pantanal' é um absurdo de arte", elogiou outro.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Boa parte da percepção de choque difundida pelos espectadores da novela "Pantanal" via Twitter sobre a cena em que Tenório (Murilo Benício) estupra Alcides veio na esteira da informação de sites e jornais sobre o que realmente aconteceria naquela tapera.

A não ser por uma frase sarcástica de Tenório -"agora eu que tô namorando"-, não houve qualquer evidência da violência sexual praticada na ocasião. Tampouco Maria consegue perceber o que realmente aconteceu. Nos poucos capítulos que restam a seguir, antes que Alcides dê fim em Tenório, alguns diálogos deixarão mais claros o que de fato ocorreu na tapera, principalmente em conversas entre o peão e Zaquieu (Silvero Pereira).

A cena do estupro durou cinco horas para ser finalizada e, de acordo com integrantes da equipe da trama, "levou a um esgotamento total" dos atores envolvidos. Eles também foram bastante elogiados pelo diretor, principalmente Isabel, que conseguiu transmitir a dor de Alcides por meio de seu olhar.