Em meio a coronavírus, exportações da China despencam 17,2% no primeiro bimestre de 2020

Reuters

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Segundo a Alfândega chinesa, país registrou uma queda de 17,2% em suas exportações, nos meses de janeiro e fevereiro de 2020, em meio à epidemia de coronavírus.

  • Situação afeta a atividade econômica e desorganiza a rede de abastecimento de alimentos.

A China registrou uma queda de 17,2% em suas exportações, nos meses de janeiro e fevereiro de 2020, em meio à epidemia de coronavírus --que afeta a atividade econômica e desorganiza a rede de abastecimento de alimentos. A informação é da Alfândega chinesa.

Segundo o portal G1, essa foi a maior redução das exportações do país desde fevereiro de 2019, em plena guerra comercial com os Estados Unidos.

Leia também

No primeiro bimestre de 2020, segundo dados oficiais, as importações chinesas caíram 4%.

O superávit comercial da China com os Estados Unidos, centro da disputa comercial entre os dois países, registrou queda de 40% no primeiro bimestre do ano: de US$ 42 bilhões no ano passado para US$ 25,4 bilhões.

Neste sábado (7), a China informou que mais 28 pessoas morreram pela epidemia de Covid-19, o que eleva o total de vítimas fatais no país a 3.070.

Conforme a Comissão Nacional de Saúde, nas últimas 24 horas foram identificados 99 novos casos confirmados de infecção, contra 143 na sexta-feira (6), mas se verificou um aumento de registros fora da província de Hubei, epicentro da epidemia.

A Comissão relatou 24 casos confirmados 'importados', número que reforça os temores sobre um eventual aumento da propagação da epidemia na China por pessoas procedentes do exterior.

Em 92 países, o número de infectados na noite desta sexta era de 100.871, dos quais 3.459 morreram.