Em ano marcado pelo feminismo, Oscar indica diretora e fotógrafa mas ignora 'Mulher-Maravilha'

Greta Gerwig, diretora indicada por ‘Lady Bird – A Hora de Voar’

Num momento em que a bandeira feminista está mais do que nunca hasteada em Hollywood, havia muita expectativa sobre como isto iria repercutir nas indicações ao próximo Oscar, reveladas na manhã desta terça-feira. E a Academia deu alguns acenos apontando que está atenta a esta demanda.

Uma das maiores dúvidas estava na categoria de melhor direção. Depois do Globo de Ouro, quando Natalie Portman chamou a atenção em pleno palco para a ausência de mulheres entre os concorrentes, o Oscar se esquivou desta polêmica ao colocar Greta Gerwig no páreo, por seu trabalho em ‘Lady Bird – A Hora de Voar’, que estreia no Brasil dia 15 de fevereiro.

A escolha não pode ser vista como mero agrado às realizadoras, já que o filme é de fato um dos mais elogiados do ano. Em 90 edições, esta é apenas a quinta vez que uma mulher é lembrada na categoria. A última foi Kathryn Bigelow, que em 2010 foi a vencedora por ‘Guerra ao Terror’.

Outro marco histórico desta edição é a primeira indicação para uma mulher entre os diretores de fotografia. Ela é Rachel Morrison, do drama histórico ‘Mudbound: Lágrimas Sobre o Mississippi’, também previsto para chegar por aqui no mês que vem.

Porém, chamou a atenção a ausência completa de ‘Mulher-Maravilha’. Tido como o grande símbolo de empoderamento feminino do cinema em 2017, o filme chegou a ser cotado para render nomeações à diretora Patty Jenkins e em categorias técnicas como melhores efeitos especiais, mas saiu desta manhã de mãos abanando.

De qualquer forma, as indicações como um todo demonstraram que a Academia está disposta a abrir espaço para as questões discutidas na sociedade. O chileno ‘Uma Mulher Fantástica’, concorrente na categoria melhor filme estrangeiro, é outro exemplo disto: trata-se do primeiro longa com uma protagonista transgênero a cavar lugar no Oscar.

A política de tolerância zero em casos de denúncia de abuso sexual também parece ter refletido entre os votantes. James Franco, recentemente acusado de assédio por cinco mulheres, acabou de fora da categoria de melhor ator, depois de ter estado em praticamente todos os outros prêmios da temporada pela performance em ‘Artista do Desastre’.

Já Christopher Plummer, chamado às pressas em novembro para regravar as cenas que Kevin Spacey  (hoje persona non grata em Hollywood) havia participado em ‘Todo o Dinheiro do Mundo’, teve tempo de conquistar uma vaga entre os atores coadjuvantes lembrados. Isto sim é o que pode ser chamado de resposta imediata!

A cerimônia de entrega acontece no dia 4 de março. Veja a lista completa dos indicados.