'Em Amor de Mãe', Clarissa Pinheiro diz que Penha terá guinada na história movida pela paixão

CRIS VERONEZ
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 27.08.2019: Atriz Clarissa Pinheiro durante a pré-estreia da série de ficção Jungle Pilot, diretor de produção Belisário Franca, na Reserva Cultural. (Foto: Mathilde Missioneiro/Folhapress)

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Após ser assassinado durante uma emboscada montada por Belizário (Tuca Andrada), o policial Wesley (Dan Ferreira) terá sua morte vingada em "Amor de Mãe" (Globo). E a responsável por isso será ninguém menos que sua ex-mulher Penha, interpretada pela atriz Clarissa Pinheiro, 36.

Na semana passada, a antiga funcionária de Lídia (Malu Galli) disse em alto e bom som, durante uma conversa com a inspetora Miriam (Ana Flavia Cavalcanti), que foi amante de Wesley: "Vou escaldar esse monstro em banho maria e vou acabar com a vida dele (...) Eu vou me vingar".

Pinheiro guarda segredo sobre os próximos passos de sua personagem e, questionada sobre a possibilidade de Penha ganhar traços de vilania, a atriz revela que Penha tomará novas direções. "Ela leva umas porradas da vida que vão fazê-la dar uma chacoalhada. Penha vai tomar medidas", afirma.

"Quando a vida machuca muito uma pessoa, ela pode tomar atitudes que não tomaria se não tivesse vivido aquilo. Pode mudar um pouquinho conceitos e valores guiada por aquela emoção e não pela razão", completa.

Nesta semana, Penha revelou a Leila (Arieta Corrêa) que está saindo com Belizário e, no episódio desta quinta (6), o policial vai presenteá-la com um joia, que a deixará muito emocionada. Na próxima semana, Thelma vai descobrir que seu antigo restaurante será demolido e pressionar Nuno (Rodolfo Vaz) a desfazer negócio com Álvaro (Irandhir Santos).

A personagem ainda vai iniciar processo de inseminação artificial para ajudar o filho, Danilo (Chay Suede), e a nora, Camila (Jéssica Ellen), a terem um bebê. No mesmo capítulo, Durval  (Enrique Diaz) vai revelar a Danilo que a mãe tem aneurisma. 

PRIMEIRA NOVELA

"Amor de Mãe" é a primeira novela de Clarissa Pinheiro, nascida em Recife (PE). Sua lista de trabalhos na Globo, porém, conta com mais três séries -"Onde Nascem os Fortes", "Justiça" e "Sob Pressão"-, duas delas dirigidas por José Villamarim, que também cuida da direção de "Amor de Mãe".

Seu primeiro trabalho de destaque nacional foi em 2014, no filme "Casa Grande", pelo qual recebeu o prêmio de melhor atriz coadjuvante, no Festival de Cinema de Paulínia. Ela também atuou em outros longas e séries de outras emissoras.

A pernambucana diz que procura não pensar no status do ator que entra para uma novela das nove. "Encaro a novela como mais um trabalho especial. É minha terceira vez com o Villamarim. Essa coisa de ser novela das nove acho que realmente tem uma repercussão maior e dá um friozinho na barriga, porque se der certo, dá muito certo. Mas se não der... (risos). Então eu tento focar em fazer o meu melhor. Isso alivia a ansiedade e faz com que eu faça meu trabalho mais tranquila."

Feliz com a trajetória de sua personagem, a atriz diz acreditar que a TV está dando mais espaço para a diversidade e percebendo a riqueza que existe em histórias muitas vezes ignoradas, como a das empregadas domésticas.

"Acho uma aposta certeira e necessária. Essa inclusão é importante. A vida não é só composta de pessoas com alto poder aquisitivo e de empregos de alta qualificação. O mundo gira porque temos pessoas executando diversas outras funções, que também têm seu valor muito grande. A novela está sendo coerente e corajosa de contar a história da Penha além do trabalho dela."

Quando foi chamada para interpretar sua personagem, Clarissa Pinheiro não sabia muito sobre ela. A única informação que ela tinha era que a empregada doméstica tinha uma patroa muito difícil de lidar. "Não sabia que Lídia seria tão cruel e que a pobre da Penha ia sofrer coisas tão difíceis. Ficar sem emprego, ser trocada por outra mulher... Terminar um relacionamento já é tão difícil, ainda mais quando é porque o cara se apaixonou por outra pessoa. E, no fim, perder essa pessoa [assassinada]."

A atriz ressalta que é um conflito de sentimentos que traz muitas possibilidades para a personagem: "Cada bloco que recebo está sendo uma surpresa legal". Ela diz ainda que foi difícil assistir a cena em que Wesley é morto durante a emboscada montada por Belizário: "Isso acontece de verdade. Essa novela levanta questões corajosas para as pessoas refletirem sobre o que está acontecendo".

Ela acrescenta que, por mais que o policial tenha traído sua personagem na trama ao se envolver com a inspetora Miriam, ela não acha que ele seja interesseiro ou mau-caráter. "Colocando-me no lugar de Penha, dá um ódio do que ele fez. Mas talvez o Wesley tenha gostado bastante dela, só que nunca tenha sentido algo tão forte como aconteceu com a Miriam."

"Acho que Wesley a queria bem... Ele não prosseguiu com a traição. Não quis continuar enganando a Penha, mas precisou de um tempo para decidir o que queria mesmo fazer", completa.

Animada com o clima dos bastidores da novela de Manuela Dias, Pinheiro diz que a sinergia com os colegas de elenco também acontece fora do set. "A gente troca muito, sai, toma umas, vai a restaurantes, se diverte. Mas também somos muito intensos em cena... Dan [Ferreira] foi muito entregue, atencioso, super parceiro", conclui.