Em 22 estados há tendência de alta de casos de SRAG, diz Fiocruz

O Globo
·1 minuto de leitura
Edilson Dantas / Agência O Globo

RIO — Pela segunda semana seguida, os casos de síndrome respiratória aguda grave (SRAG) crescem no Brasil, mostra o boletim InfoGripe da Fiocruz, divulgado nesta quinta-feira. Durante a semana epidemiológica 48 (de 22 a 28 de novembro), 22 unidades federativas apresentaram pelo menos uma macrorregião estadual com crescimento no número de casos nas últimas 3 ou 6 semanas.

Cerca de 97,7% dos casos positivos são em consequência do novo coronavirus.

O aumento ocorreu nos estados do Amazonas, Pará, Rondônia, Tocantins, Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

“O registro de crescimento que vem se observando em todo o território nacional durante o mês de novembro sugere a necessidade de cuidado redobrado ao longo do mês de dezembro. Ações de conscientização e prevenção devem ser tomadas para evitar que as tradicionais aglomerações no comércio e nas celebrações de fim de ano agravem o quadro atual”, disse Marcelo Gomes, coordenador do InfoGripe, em nota.

Há 13 capitais com tendência de alta moderada ou forte para os casos SRAG. Campo Grande, Curitiba, Goiânia, Maceió, Palmas e Salvador apresentaram sinal forte de crescimento na tendência de longo prazo. Belo Horizonte, Cuiabá, Manaus, Região de Saúde Central do DF (plano piloto de Brasília e arredores), Rio de Janeiro, São Luís e São Paulo apresentaram sinal moderado de crescimento na tendência de longo prazo. Teresina apresenta sinal moderado de crescimento apenas na tendência de curto prazo (três semanas).