"Eles estavam com medo de que a série deixasse a Amazon mal": Diretor de Drive garante que seu thriller chocou a empresa e eles o enterraram intencionalmente

Mais de três anos se passaram desde sua estreia, mas o diretor de Drive, Nicolas Winding Refn, quis falar sobre a série que criou para o Amazon Prime Video, acusando diretamente a plataforma de streaming de querer enterrar seu trabalho. O cineasta estava falando de Muito Velho para Morrer Jovem.

A série surgiu como um dos projetos mais promissores da plataforma: o criador da ficção era ninguém menos que Nicolas Winding Refn, um cineasta dinamarquês que havia ganhado reconhecimento em Hollywood com vários de seus filmes e estreou com sua primeira série de televisão. Além disso, tinha Miles Teller como protagonista, que naquela época já tinha certo reconhecimento por seu trabalho em Whiplash: Em Busca da Perfeição.

O ponto de partida de Muito Velho para Morrer Jovem foi a história de Martin Jones (Teller), um policial que passa por um delicado momento pessoal e profissional após a companheira ser baleada. Afundado, o agente começa a viver uma vida dupla como assassino em Los Angeles, arrastado para um mundo de violência no qual ele convive com o pior da humanidade: soldados da Yakuza, assassinos de cartéis mexicanos, chefes da máfia russa e gangues de adolescentes assassinos. Enquanto isso, os pecados de seu passado não param de assombrá-lo.

Apesar de a ficção ter recebido críticas positivas, a série também foi alvo de muitas críticas pela forma brutal como retratava a violência, física e sexual. Um pormenor que não passou despercebido nem ao público, nem à crítica e que, segundo Nicolas Winding Refn agora, também não passou despercebido à Amazon Prime Video, que teria ficado "chocada" com o resultado final.

Conforme explicou o cineasta ao Vulture, sua recusa em abrandar a violência causou atrito com a plataforma de streaming, que acabou decidindo lançar a série, mas sem fazer nenhum esforço para dar-lhe visibilidade. A produção também não foi renovada para uma segunda temporada.

Eles tiraram todo o meu dinheiro de marketing porque temiam que a série prejudicasse a Amazon. Eles me contaram diretamente. Eu estava tipo, 'O que é tão chocante?' Eles disseram: 'Isso vai nos deixar mal vistos'. E eu disse: 'Mas acho que ninguém vai olhar para você'.

"Hollywood é tão egocêntrico que acredita estar no centro do universo", continuou o cineasta. "O domínio do medo é muito perigoso. A Amazon lançou a série, mas eles disseram: 'Vamos enterrar'. E eles fazem assim."

No entanto, Refn continua firme defensor de sua série e não hesita em classificá-la como uma verdadeira joia a ser desfrutada no catálogo da plataforma: “Não se enterra um diamante”, diz.

Leia o artigo em AdoroCinema

The Last of Us: Qual música toca no final do primeiro episódio? Entenda como será importante para o futuro da série