Eleito nos EUA, Joe Biden diz que vacina contra Covid-19 será gratuita: 'vamos seguir a ciência'

Redação Notícias
·2 minuto de leitura
President-elect Joe Biden speaks Monday, Nov. 9, 2020, at The Queen theater in Wilmington, Del. (AP Photo/Carolyn Kaster)
O presidente eleito Joe Biden fala, nesta segunda-feira, no teatro The Queen em Wilmington, Del. (Foto: AP Photo/Carolyn Kaster)

Eleito presidente dos Estados Unidos, Joe Biden afirmou nesta segunda-feira (9) que uma possível vacina contra a Covid-19 no país será gratuita. Em discurso, ele ainda fez um apelo aos norte-americanos para que usem máscara e prometeu que seu governo irá “seguir a ciência”.

"Não importa em quem você votou. Somos americanos, e o nosso país está sob ameaça", afirmou Biden. Diferente do Brasil, por exemplo, os EUA não têm um sistema de saúde gratuito para a população, como o SUS (Sistema Único de Saúde).

Por esse motivo, Biden disse que pretende implantar um programa de rastreamento que permita fazer contato com as pessoas infectadas com a Covid-19 para evitar uma alta nas taxas de transmissão.

Leia também

Segundo ele, este grupo pretende ainda organizar um programa para a distribuição de vacina de forma gratuita para os americanos.

"Eu serei o presidente de todos os americanos, esta eleição acabou", disse ele, ao afirmar que é preciso ter união para derrotar o vírus.

Assim como recomendam autoridades de Saúde, Biden também reforçou o uso da máscara. "Uma máscara não é uma declaração política, mas uma boa forma de unir o país”, afirmou.

Biden só vai tomar posse em 20 de janeiro de 2021 como 46º presidente dos Estados Unidos, mas ele afirmou que sua equipe deve "começar fazendo todo o possível para controlar a Covid-19".

Conselho de Saúde

O democrata citou o conselho consultivo da equipe de transição, nomeado para enfrentar a pandemia. Entre outras responsabilidades, o grupo dará orientações sobre como as escolas, lojas e outros estabelecimentos devem reabrir da forma mais segura.

O conselho também ficará encarregado de elaborar um plano para ser colocado em prática assim que Biden assumir a presidência. Outras pessoas serão adicionadas a esse grupo durante a transição.

"Vamos seguir a ciência. Vou falar de novo: vamos seguir a ciência", declarou Biden.

Entre os nomes que integrarão o conselho consultivo para o combate à pandemia do coronavírus está a brasileira Luciana Borio, que é pesquisadora sênior de saúde global do Conselho de Relações Exteriores dos EUA.