Egito recupera milhares de antiguidades que estavam nos Estados Unidos

·1 minuto de leitura
Foto do Ministério egípcio de Turismo e Antiguidades em que é possível ver manuscritos recuperados, 27 de janeiro de 2021

O Egito anunciou nesta quarta-feira (27) a recuperação, após anos de negociações, de cerca de 5 mil peças antigas que haviam sido enviadas de maneira ilegal aos Estados Unidos.

Em nota, o Ministério do Turismo e Antiguidades informou a "chegada ao aeroporto do Cairo de uma grande quantidade de peças egípcias antigas que estavam em poder do Museu da Bíblia, em Washington".

Segundo o responsável pelo caso, Shaaban Abdeljawad, citado no comunicado, são cerca de 5 mil antiguidades, principalmente manuscritos, mas também máscaras funerárias, partes de sarcófagos e cabeças de estátuas de pedra.

Essas peças, que foram retiradas do Egito ilegalmente, serão expostas no Museu Cóptico do Cairo, acrescenta o texto.

Não se sabia exatamente quem ou como as peças foram retiradas ilegalmente do país, ou como chegaram ao Museu da Bíblia de Washington, mas as autoridades egípcias vinham negociando com aquela instituição há anos para recuperá-las.

Durante a revolta popular de 2011 em que Hosni Mubarak foi derrubado, várias peças da herança egípcia de valor inestimável foram danificadas, destruídas ou roubadas e, posteriormente, removidas do país ilegalmente.

Com o tempo, milhares de obras foram trazidas à luz no mercado internacional, em sites ou em leilões.

bam/tp/vl/jvb/am